CSNY 1974, caixa luxuosíssima de Crosby, Stills, Nash & Young, tá sumindo do estoque. O quarteto gastou uma grana com patrocínio de Facebook no fim de semana para dar um aviso aos fãs. O pacote, que tem uma porrada de faixas inéditas (em seis discos e um DVD) foi lançado com apenas mil cópias. E no momento sobraram duzentas. E aí, vai encarar?

Crosby, Stills, Nash & Young avisam: a caixa de 1974 está acabando
“Depois não digam que a gente não avisou”

Se você tiver grana, vale a pena. A caixa CSNY 1974 cobre a histórica turnê de Crosby, Stills, Nash & Young naquele ano e é um presentaço. O giro teve 31 shows em 24 cidades e durou dois meses. Tudo em meio a imensas crises de ego e cocaína aos montes. Os shows de abertura incluíam Joni Mitchell, Beach Boys, Santana e The Band. Antes da turnê, cada integrante estava cuidando de trabalhos individuais. Crosby e Nash gravavam como dupla, Stephen Stills excursionava com seu grupo Manassas. E Neil Young saía de um período de crise pessoal, após as mortes do guitarrista Danny Whitten e do roadie Bruce Berry. Tinha também lançado, em 1974, o excelente (e renegado) On the beach.

Olha aí o grupo tocando Love the one you’re with no Wembley Stadium, na época da turnê.

On the beach, de Neil Young, foi também parar nas vozes de Crosby, Stills, Nash & Young.

E olha o quarteto lembrando a bela Immigration man, de Crosby e Nash.


A tour de Crosby, Stills, Nash & Young teve promoção do lendário Bill Graham, do Fillmore. E serviu de batedor para quase tudo o que viria depois em termos de turnês grandalhonas. E isso numa época em que shows com gastos enormes e equipes paquidérmicas eram padrão – não, isso não começou agora. Sem a época documentada em CSNY 1974, giros bizarros como os de Peter Frampton entre 1975 e 1976 jamais teriam rolado, por exemplo. Fora as turnês do Kiss, o circuito maluco de David Bowie na época da Glass spider tour (nos anos 1980), etc. Tá tudo lá – e o pacote ainda tem um livro de 180 páginas.