Nunca ouviu falar do The first book of jazz? Vamos por partes. Se você nunca escutou falar de poesia jazz, ela representou para o estilo musical quase a mesma tradução em palavras que o rap representou para a cultura hip hop. O site poets.org publicou certa vez um textinho explicando que essa forma de arte literária abrange uma variedade de formas, ritmos e sons, iniciou-se com o nascimento do blues e do jazz no início do século 20 e é o elo entre os primeiros poetas afro-americanos dos anos 1920 (o chamado Harlem Renaissance, movimento artístico negro de Nova York) e a poesia beat.

Além de situações do dia a dia dos fãs e músicos de jazz (e da pessoa afro-americana em geral), os textos citavam nomes como Louis Armstrong, John Coltrane, Miles Davis, Dizzy Gillespie, Billie Holiday, Charles Mingus, Thelonious Monk e vários outros. Já, entre os poetas da tradição do jazz, há nomes como Jack Kerouac, Amiri Baraka, Marvin Bell, Mina Loy e vários outros.

E toda essa introdução é pra dizer que alguém jogou no Flickr todas as páginas desse livro, The first book of jazz, escrito pelo poeta, ativista social, romancista, dramaturgo e colunista afro-americano Langston Hughes (1902-1967), considerado um dos pais da poesia jazzística. Olha aí embaixo e aqui.

Hughes - First Book of Jazz (Roberts)001Hughes - First Book of Jazz (Roberts)007Hughes - First Book of Jazz (Roberts)012Hughes - First Book of Jazz (Roberts)023The first book of jazz foi lançado por Langston em 1954, quando ele tinha 42 anos. A ideia do livro era apresentar ao público infantil a cultura jazz, que ele tanto amava. Por sinal, The first book... é considerado, sem trocadilho (mas se quiser pode) o primeiro livro infantil a historiar a cultura americana, falando de toda a história do jazz, da contribuição dos músicos afro-americanos, de todos os seus detalhes técnicos – ritmo, percussão, improvisação, síncope, blue note, harmonia. As ilustrações foram feitas por Cliff Roberts (1929-1999), que fez cartuns para revistas como Playboy e The New Yorker e também trabalhou fazendo desenhos para a Vila Sésamo.

No fim de The first book of jazz, há uma boa lista de músicos e discos de jazz, compilada pelo autor. Um detalhe sobre Langston é que ele, ligado à esquerda norte-americana, havia passado a ser perseguido pelo senador Joseph McCarthy – aquele mesmo, da perseguição aos comunistas e do chamado “macartismo”. McCarthy considerava “comunistas” até mesmo negros que se queixassem da maneira como eram tratados nos Estados Unidos. Langston contava ter sido apedrejado e expulso, com sua família, de vários lugares, por causa do racismo.

Mais sobe Langston no vídeo abaixo.

Leia também no POP FANTASMA:
Metazz: capas de discos de heavy metal redesenhadas como álbuns de jazz retrô
Rusty Peavy: jazzista de Cristo (!)
The Interview: caretas e hipsters no jazz, em animação de 1960