Tido como um dos maiores filmes de todos os tempos por muita gente séria, Vá e veja – um retrato extremamente cru dos horrores da guerra – está em cartaz de hoje a domingo, de graça, no canal da CPC-Umes. O filme, lançado em 1985, foi dirigido pelo cineasta soviético Elem Klimov e conta a história pesadíssima de um garoto bielorusso, Flyora (Aleksei Kravchenko), que, em 1943, no meio da Segunda Guerra, encontra um rifle SVT-40 enquanto brincava de cavar trincheiras com um amigo. Os dois estavam justamente em busca de armas escondidas. Só que eles são vistos e, no dia seguinte, Flyora é recrutado pelo exército de seu país.

A partir daí, não há um minuto sequer de paz no filme: Flyora tem sua família assassinada pelo exército, passa fome, escapa de ser alvejado várias vezes, vê todos os horrores possíveis e imagináveis da guerra acontecendo em seu país, e na sua frente. Já quem vê o filme tem chances de se horrorizar diversas vezes. Em especial por causa das mudanças na aparência de Flyora, um garoto adolescente bonito e saudável que, por causa das cenas que testemunha, se torna uma pessoa assustada e precocemente envelhecida.

TIROS NA VACA

O que muita gente mal desconfia é que os próprios atores estavam passando quase todos os perrengues vividos pelos personagens. Um artigo do site Russia Beyond esclarece que durante a filmagem de Vá e veja foi usada munição de verdade e, em vários momentos, os atores se assustaram com as balas passando em cima das cabeças deles. Uma cena famosa do filme, quando uma vaca é abatida a tiros de metralhadora, aconteceu de verdade.

Kravchenko chegou a fazer um tratamento psicoterápico (e quase fez hipnoterapia) para não enlouquecer no meio das filmagens. Após o fim das filmagens, surgiu inclusive um boato forte de que o ator havia mesmo envelhecido por causa do filme, já que seus cabelos continuaram brancos. Na verdade, a equipe usou uma graxa especial e uma espécie de camada de prata no cabelo dele. Só que os compostos não eram tão fáceis assim de serem retirados e ele permaneceu com cabelo “branco” por uns tempos.

SUMIU E VOLTOU

Aleksei, que interpretou Flyoria, quase foi ator de um filme só. Ele, que filmou Vá e veja entre os 14 e 16 anos, ficou até 1998 sem fazer nada. A partir desse ano, começou a fazer pelo menos um papel anual em TV ou cinema. Em 2019 o ator, que tem hoje 51 anos, esteve no elenco de Lev Yashin: O goleiro dos meus sonhos, filme sobre o jogador de futebol soviético. Em 2001, contou sua história com Vá e veja numa entrevista.

Parece incrível, mas Aleksei nem estava muito certo do que queria quando foi parar no filme, nem era um apaixonado pela atuação. Foi na onda de um amigo de escola que era louco para virar ator, e que tinha descoberto que uma produtora de cinema estava procurando crianças louras de olhos azuis.

O futuro ator de Vá e veja foi lá relaxadão, só para dar apoio moral ao amigo e acabou ganhando o papel. Até impressionou a equipe quando pediram-lhe que imaginasse sua mãe doente, de cama, e ele se esvaiu em lágrimas. “Eu nem esperava por isso”, espanta-se. “Olhei para o lado e estava todo mundo chorando”.

Depois que o filme estreou, Aleksei não se animou com a ideia de ser ator imediatamente (daí a demora para voltar à profissão) e até lembra de ter se assustado com uma multidão de fãs que o cercou após a primeira exibição. “Eles queriam me abraçar, mas parecia que queriam me derrubar”, lembra, rindo.

Mais cinema no POP FANTASMA aqui.