Se for pegar o que anda acontecendo nas escolas brasileiras, não é bem o culto a satã que anda causando problemas por aqui, ao que parece. Já no Texas, em 1990, o pastor Dave Roever via problemas na exposição de criancinhas ao coisa ruim. Fez o documentário Exposing the satanic web, vendido em VHS, pregando a caça às bruxas e o patrulhamento cristão a artistas como como Ozzy Osbourne, Metallica, Slayer, Madonna, etc. Eles seriam, diz Roever, parte da razão da existência de tantos assassinos seriais, adolescentes extremamente rebeldes e crimes repletos de pistas e marcas “satanistas”. Policiais e assistentes sociais dão depoimentos que você vai precisar ver algumas vezes até ter certeza de que não está viajando.

Aos depoimentos de Roever (que no começo avisa que os pais não devem deixar o filho ver o documentário, repleto de “imagens fortes”) somam-se declarações de policiais e assistentes sociais, imagens de desenhos feitos por estudantes em sala de aula (uma delas é a capa de Kill’em all, do Metallica), e, digamos, certa consciência de que o som pesado viveria bons momentos a partir dos anos 1990 – com vários festivais, ressurgimento de carreiras, etc. Uma líder religiosa entrevistada para o filme está convencida de que o vício em satã é tão perigoso quanto o vício em drogas – e é patrocinado pelo sistema educacional, pelos pais e pelo mercado do entretenimento. Outro dos personagens revelados pelo filme é um ex-ministro satânico que virou religioso.

Infelizmente, ninguém lembrou de legendar em língua nenhuma. Se estiver na pilha, confira.

Via Reprobate Press.