Você aí, caro(a) leitor(a), gosta do Arnold Schwarzenegger? Já assistiu pérolas como Exterminador do futuro, Comando para matar e Conan, o Bárbaro umas 50 vezes a ponto de ter decorado os diálogos? Sim? Bom, então estamos indo bem… Para completar, você também é fã de punk rock e sempre sonhou ver uma banda formada por malucos desocupados usando como tema para letras e músicas esses e outros clássicos estrelados pelo nosso austríaco favorito? Se você também respondeu sim, então seus problemas acabaram. Apresento-lhes o ArnoCorps, o primeiro conjunto no mundo a prestar tributo à obra desse grande ator.

Vindos diretamente da Califórnia (embora no release disponibilizado no site oficial, os integrantes brinquem dizendo que na verdade são todos austríacos) o ArnoCorps iniciou suas atividades em 2000 e notabilizou-se não só por suas letras bem humoradas baseadas em diálogos toscos tirados dos filmes do Arnoldão como também pela formação incomum com três guitarras e dois baixos, bem como pelo visual militarizado nos shows, composto de capacetes, roupas camufladas e afins.

Entretanto, eles fazem questão de frisar que só usam tais vestimentas porque em seu suposto país de origem eles eram heróis que atuavam no exército como uma equipe de resgate, não como combatentes. Tal como seu ídolo maior, eles deixam claro que são sempre os mocinhos.

O grupo lançou em 2006 seu primeiro LP, The greatest band of all time, de 2006, pela Alternative Tentacles, gravadora do ex-vocalista do Dead Kennedys Jello Biafra que, como sempre, procura para o seu selo o que há de mais inusitado na cena punk/hardcore. Lançou também alguns EPs. E por falar em inusitado, o Arnocorps lançou até mesmo (pasmem) um aplicativo para iOS chamado Wheel of Pain Push Ups, um programa de exercícios com dez estágios cujo objetivo é fazer você ganhar massa muscular enquanto, claro, curte o som dos caras.

Olha aí a banda tocando ao vivo Predator, música sobre você sabe qual filme.

Isso aí é a banda, ao lado do patrão Jello Biafra, tocando California uber alles numa versão maluca que fala do trabalho de Arnold como governador.

Ao longo desses vinte anos, eles já fizeram diversas turnês nos EUA e algumas pelo Canadá e Reino Unido, chegando inclusive a serem eleitos pelos leitores da revista britânica Metal Hammer como “show mais divertido”.

Porém tenho uma má notícia caso você tenha ficado curioso e com vontade de assisti-los ao vivo: enquanto você lê essas mal traçadas linhas, a banda encontra-se em turnê de despedida. Pois é, após todo esse tempo, decidiram que vão entrar em hiato por tempo indeterminado… Ou seria essa uma piada só para depois voltarem à ativa usando o famoso bordão do Arnold “I’ll be back” (Eu vou voltar)? Fica a dúvida no ar…

E para finalizar, aposto você deve estar se perguntando se o Schwarzenegger sabe da existência desses caras, não é? Não só sabe como o seu site oficial antes de ser repaginado tinha uma nota sobre eles, como você pode conferir aqui.

Ah sim, vale lembrar que o ArnoCorps foi o primeiro grupo a homenagear Schwarzenegger mas não foi o único. Teve também o Austrian Death Machine, banda californiana fundada por um sujeito chamado Tim Lambesis, que era vocalista do As I Lay Dying. Que funciona mais como uma paródia, com Tim tocando todos os instrumentos e contando com um colaborador (Chad Ackerman, da banda Destroy The Runner) que imita Schwarzenegger (e assina como “Ahhhhnold”).

O grupo gravou três discos e terminou porque Lambesis foi preso após contratar um policial disfarçado para assassinar sua esposa. Se tiver interesse em ouvir o som deles, tá aí o primeiro disco, de 2008.