E aí, quer ficar com um corpinho igual ao do Arnold Schwarzenegger? Bom, pelo menos no que diz respeito à trilha sonora do treino, tá de boa. Em 1981 o então apenas ator e fisiculturista meteu-se numa parceria com a gravadora Columbia (hoje Sony) e soltou nas lojas o LP Arnold Schwarzenegger’s total body workout, no qual fornecia instruções para a sua malhação caseira, enquanto deixava rolar os hits do momento.

Sim, isso mesmo: alguns anos antes da figura do personal trainer virar algo comum, o protagonista de O exterminador do futuro queria ser o seu personal. Era só comprar o disco e escutar sua voz orientando exercícios em meio a hits de Journey (Don’t stop believin’), Tommy Tutone (867-5309 / Jenny, que virou um exercício para pernas e bumbum), The Weather Girls (It’s raining men, com os “up” e “down” de Arnold marcando o ritmo), Third world (Try Jah love) e Blue Öyster Cult (Burnin’ for you).

“É para deixar sua mente preparada para os exercícios. Escute a música e mova-se ao mesmo tempo”, dizia Arnold enquanto rolava a primeira música do disco, Save the overtime for me, de Gladys Knight and The Pips. “Pra cima, pra baixo… onze… doze… muito bom, vamos para o próximo exercício, que eu chamo de ‘alcançando o céu'”.

Pelo menos dois clássicos pop pouco lembrados estão entre as preferidas do Arnoldão: Let your body rock, da banda new-wave-r&b Champaign, e Think I’m in love, do sumidão Eddie Money.

O disco de Arnold, olha que legal, ainda vinha com ilustrações mostrando como eram e como deviam ser praticados os exercícios. O LP original era dividido em “exercícios sem pesos” (lado A) e “exercícios com pesos” (lado B).

Arnold Schwarzenegger's total body workout Arnold Schwarzenegger's total body workout Arnold Schwarzenegger's total body workout

E se você acha que o LP do Arnold é uma pérola esquecidíssima do universo pop-rock, engano seu: ele foi lançado em CD nos Estados Unidos em 2003 e pode ser ouvido no… Spotify. Olha aí.