Se os tempos eram outros em 1970, imagine só o mercado da música. Para você ter uma ideia de como as coisas funcionavam: The Jackson 5 lançaram TRÊS alguns neste ano – dois de carreira e um de Natal. Com isso, conseguiram emplacar três singles, logo depois do estouro do álbum anterior, de estreia, lançado um ano antes. Lembre-se que não havia uma mídia que “guardasse” a música para você ouvir a qualquer hora, você tinha que comprar o disco. Por isso a produção, no caso dos artistas que estouravam, era frenética: tinha que vender disco e só vendia disco quem tinha coisa nova para apresentar.

1970 foi também o ano do grande choque, o fim dos Beatles. Com o disco Let it be, o quarteto fechava a tampa da sua carreira de inéditas. Por outro lado, os quatro Beatles lançaram seus discos solo neste mesmo ano – com Paul, Lennon e Harrison chegando às paradas e Ringo, mais na dele, mais lerdinho, lançando um álbum apenas OK.

No Brasil, Candeia estreava em disco, Maysa era a cantora da dor de cotovelo das multidões e Erasmo Carlos começava a construir seus clássicos pós-Jovem Guarda com Sentado à beira do caminho. O grupo Som Imaginário brilhava como banda base de dois discos importantes de Taiguara e Milton Nascimento, Viagem e Milton, respectivamente.

Ouça as 51 músicas que fazem 50 anos em 2020 na playlist abaixo: