Com 30 anos de carreira comemorados em outubro do ano passado, o Nenhum de Nós celebra agora a marca de 2 mil shows. A festa rola com um show no Cine Joia, em São Paulo, no dia 17 de março. De acordo com as contas dos gaúchos, a capital paulista foi um dos lugares nos quais mais se apresentaram. Foram mais de 80 shows em trinta anos.

Thedy Corrêa (voz e violão), Sady Homrich (bateria), Veco Marques, Carlos Stein (nas guitarras) e João Vicenti (teclados e acordeão) tiveram uma biografia lançada no ano passado (“A obra inteira de uma vida”, escrita por Marcelo Ferla), além de um vinho com a marca da banda, o NDN Malbec, feito em parceria com a vinícola Helios. Olha a foto do produto aí.

Aliás, caso você faça parte daquele grupo de pessoas que só conhece o Nenhum de Nós por causa dos sucessos “Camila, Camila” e “O astronauta de mármore” (versão em português de “Starman”, de David Bowie), vai aí uma surpresa para você: o primeiro disco do grupo, lançado em 1987, é uma pérola perdidíssima do pós-punk brasileiro. Na época, a banda era um trio (só Thedy, Carlos e Sady), tinha sido lançada no meio da pacoteira do selo Plug, da BMG-Ariola (hoje Sony Music) e parecia que não ia fazer sucesso nenhum – até que “Camila, Camila” começou a tocar em todas as rádios e, em 1988, não houve quem escapasse da música.

Se nunca ouviu, tá aí. O disco jamais foi relançado em CD. Aliás, ainda sobre o show, o grupo conta com Estevão Camargo no baixo, como convidado.

Foto alto: Divulgação/Marcelo Amaral