O Rouge, como é público e notório, voltou – aliás, o Br’Oz também. E por coincidência os dois grupos surgiram juntos na versão brasileira do PopStars, exibida pelo SBT em 2003. Mas o que interessa é que você pediu e os discos do grupo feminino estão sendo relançados pela Sony Music. Olha Aline Wirley, Karin Hils, Fantine Thó, Li Martins e Lu Andrade assinando o contrato pro relançamento aí.

Os álbuns chegam a todas as plataformas de streaming nesta sexta (1), e são Rouge (2002, com o hit Ragatanga), C’est la vie (2003, com o hit Brilha la luna), Blá blá blá (2004) e Mil e uma noites (2005).

“Seguindo o aguardado retorno da banda feminina brasileira de maior sucesso dos anos 2000, a Sony Music vai lançar os quatro álbuns do Rouge nesta sexta-feira, 1º de dezembro, em todas as plataformas de música digital. Os fãs vão poder escutar em todos os serviços de streaming e download as músicas que estouraram nas vozes de Aline Wirley, Karin Hils, Fantine Thó, Li Martins e Lu Andrade. A banda anunciou a novidade durante uma live na página oficial da Sony Music no Facebook, direto do escritório da gravadora, onde as integrantes assinaram novo contrato.
Formado em 2002, o Rouge lançou quatro álbuns que marcaram uma geração. O primeiro, de 2002, que leva o nome da banda e apresentou os hits Ragatanga, Popstar, Não dá pra resistir e Beijo molhado, recebeu certificação de platina dupla. No ano seguinte, o quinteto lançou C´est la vie, que alcançou a certificação de platina e trouxe os sucessos Brilha la luna, Um anjo veio me falar, a faixa título C´est la vie, entre outros. Em 2004, com o álbum Blá blá blá, o Rouge recebeu certificação de ouro e no ano seguinte, com Mil e uma noites, a banda relançou sucessos dos álbuns anteriores (do release da gravadora)“.

Aliás, em outubro, a ex-presidente Dilma Rousseff escreveu no Twitter a seguinte mensagem, e demorou um tempão para concluí-la. E uns fãs decidiram completar a lista de Dilma escrevendo que faltava “Rouge no Spotify”. Não falta mais.