Criado pela novíssima equipe da Braindead Broccoli, o game Punhos de Repúdio ainda está em fase de crowdfunding (apoie aqui). E se define como “um game de porrada clássico”. Só que, no jogo, quem vai apanhar bastante são as pessoas que insistem em andar na rua sem máscara, enquanto há uma certa pandemia rolando.

O jogo, bolado em 2D com animações feitas à mão (e indicado apenas para maiores de 18 anos) faz uma proposta irresistível para quem faz isolamento desde março de 2020, enquanto observa parentes e amigos promovendo aglomerações pela cidade (e pelas fotos do Instagram): “Ande pelas ruas dessa distopia e bata na galera sem máscara e nos conspiracionistas malucos que acreditam apenas na sua própria pós-verdade. É você quem vai finalmente acabar com essa parada com a força dos próprios punhos”.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Pai, de Fábio Jr., em versão game 16 bits

“É revoltante todas vez que precisamos ir ao mercado ou algum serviço presencial e nos deparamos com pessoas que insistem em ignorar medidas sanitárias básicas. E claro, o resultado disso é um número cada vez maior de vítimas o que nos entristece muito”, afirma por e-mail ao POP FANTASMA a turma da Braindead (três deles, Kainã Lacerda, Ulisses D’ávila e Luiza Bartolette responderam).

No jogo, as heroínas do grupo Punhos de Repúdio (até o momento são três: Laura, Nina e Olga) combatem personagens bem parecidos com uma turma aí que a gente conhece. Tem o “babaca profissional” e terraplanista Marcos Cuzzione, a “pobrefóbica” Patricia Goebbels e o “argumentador de bar” Lucas Estevez, além do “vil e covarde comandante dos negacionistas fanáticos”.

Punhos de Repúdio: num game, muita porrada nos negacionistas

>>> Veja também no POP FANTASMA: Puppet Motel: o game de Laurie Anderson

“As pessoas reconhecem muitos inimigos nas rua, infelizmente não é raro ouvir esses relatos. Com alguma frequência recebemos mensagens falando “caramba, um dos inimigos é igual ao meu vizinho!”, contam. “É revoltante toda vez que precisamos ir ao mercado ou algum serviço presencial, nos depararmos com pessoas que insistem em ignorar medidas sanitárias básicas. E claro, o resultado disso é um número cada vez maior de vítimas, o que nos entristece muito”.

Além dos inimigos já incluídos na história, outros mais devem entrar. O game passou por um replanejamento no começo do ano, logo assim que turma viu o sucesso da demo. “O roteiro já está pronto, a gente já tem mais ou menos uma ideia fechada de tudo que vai colocar no jogo. A primeira fase teve que sofrer mudanças, algumas coisas saíram e foram para outras fases e algumas coisas novas entraram”, dizem. “A ideia do jogo é que cada fase fique mais consistente e uniforme, quase como um capítulo em si, abordando um tema e uma aventura diferente na saga maior dessa pandemia fictícia que o jogo aborda”.

>>> Saiba como apoiar o POP FANTASMA aqui.

O jogo é o primeiro projeto da Braindead, que começou em 2020 como um projeto de garagem, apenas com Kainã e Ulisses. Inicialmente, a dupla foi fazendo o jogo com os recursos que tinha à mão. Mas na sequência, foram entrando responsáveis por áreas como trilha sonora, programação, efeitos sonoros e social media.

Já o crowdfunding vai até o dia 28 de maio, e os apoios iniciam em R$ 10. Mas para quem escolher contribuir com um pouco mais, entre os prêmios, além da chave do jogo, há pôsteres digitais, camisetas e até uma máscara do game (“é só um item de coleção, para se proteger use a pfff2”, avisam). O projeto do jogo atingiu a meta de lançamento para PlayStation 4 e Mac, e a Braindead Broccoli faz projetos para lançamento em Xbox One e Nintendo Switch.

“Como a equipe é muito nova, o Punhos de Repúdio é nosso primeiro projeto. A gente tá colocando toda nossa criatividade em força mental nesse projeto, sem muitos planos para projetos futuros. O nosso objetivo agora é focar o máximo da gente no Punhos, pro projeto sair da forma mais irada possível”, dizem.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Golden Shower: “Talvez Bolsonaro seja nosso fã”

DEIXE UMA RESPOSTA