Lembra do Borealis? O projeto-musical-de-um-homem-só do jornalista Marco Antonio Barbosa (que volta e meia colabora aqui com o POP FANTASMA e já foi entrevistado aqui) retorna com mais um EP, Tele-funk-en, que já está no Bandcamp. O disco tem três longas faixas e a música-título já ganhou clipe – por sinal no clima da sonoridade e do título.

“São imagens de um vídeo educacional dos anos 1950 (ou 1960, sei lá) que achei num site de imagens em domínio público. É um documentário sobre a fabricação de aparelhos de TV. O clipe não ficou tão bom quanto eu gostaria (ainda estou me entendendo com o programa de edição), mas é melhor que só imagem da a capa do EP, né?”, conta Marco.

Definido em inglês como “noisy instrumental electronic music”, o Borealis acumula três álbuns e dois EPs na discografia desde 2015 e deixou os limites da internet uma única vez, para uma apresentação ao vivo no Audio Rebel. Por sinal, com ou sem shows (que no ritmo da pandemia, devem demorar a voltar para acontecer), Marco já prepara o próximo álbum, que se chama Siemens music. Vem uma trilogia baseada em marcas de eletrodomésticos aí? “Não, essa foi só coincidência”, conta.

O EP do Borealis, por sinal, vem no embalo desse disco que sai em breve. “E é um disco, aham, ‘conceitual’ inspirado na música, na tecnologia e na cultura alemãs. Além das óbvias influências de Kraftwerk e kraut rock em geral, eu busquei intencionalmente fazer um som mais, aham, ‘dançante’, mesmo que tenha saído tudo meio quadradão”, conta Marco.

Ainda assim, uma faixa do EP tem influências que vão além do rock alemão. É Frog can. “Era o título de ‘trabalho’ da ideia inicial da faixa – que era fazer uma espécie de mash-up entre o groove do Can e a levada de Peace frog, dos Doors. Mas o sample de guitarra é de uma música dos Temptations”, conta.

Pega Tele-funk-en aí.