David Bowie gravou seus essenciais discos de 1977, Low e Heroes, lá. The idiot, de Iggy Pop, produzido por Bowie, foi também registrado lá. Boa parte dos discos de Nick Cave & The Bad Seeds dos anos 1980, também. Achtung Baby, do U2 (1991), idem. Dá até vontade de se perguntar como é que ninguém teve antes a ideia de produzir um documentário sobre o mitológico estúdio Hansa, localizado em Berlim – e o tal lugar em que esses discos foram todos gravados.

A novidade é que acabaram de fazer o tal documentário. Dirigido pelo cineasta Mike Christie, Hansa Studios: By The Wall 1976 – 90 detalha a história e o significado cultural do estúdio. E vai para a telinha dia 10 de janeiro (lá fora) no Sky Arts. A produção adiantou ao site Gigwise que o filme tem entrevistas com Daniel Miller (Mute Records), Michael Stipe (REM) e Martin Gore (Depeche Mode). Mais: a equipe foi buscar os irmãos Hunt e Tony Sales, responsáveis pela bateria e pelo baixo furiosos de Lust for life, de Iggy Pop – e os dois reproduziam a condução maníaca da música em estúdio.

Olha aí um teaser que o canal soltou.

“O icônico Hansa Studio fica na Potsdamer Platz de Berlim – e ficou praticamente sozinho em um terreno baldio em Berlim Ocidental durante os anos 70 e 80, a poucos metros de onde o Muro de Berlim ficava e na extremidade do mundo ocidental”, escreveu a equipe num comunicado. “Dentro de suas paredes, David Bowie criou seus atemporais álbuns de 1977 Low e Heroes, feitos em colaboração com Brian Eno. Foi durante este período de Bowie no Hansa que se criou a frase: ‘Há a velha onda, há a nova onda, e há David Bowie'”.

Foto: Reprodução YouTube