Exibida pela emissora mexicana Televisa entre janeiro e maio de 1992, a novelinha El abuelo y yo virou mania entre crianças no Brasil quando, no mesmo ano, passou aqui com o nome de… Vovô e eu. Olha a abertura aí.

A história, em se tratando de uma novela infantil mexicana, não tinha erro. Falava das vidas de duas crianças, a menina rica Alexandra e o garoto pobre Daniel, que acabam se conhecendo no meio da trama. Sendo que (para provocar mais lágrimas nos espectadores), Daniel era um garoto abandonado que vivia nas ruas e tinha como único amigo o cachorro Anselmo. Até que conhece um senhor chamado Joaquim, um velho e solitário músico, que vira seu “avô”. Evidentemente, ao final da trama, Daniel descobre que o senhor é seu avô mesmo e fica tudo bem.

Lá pelas tantas, Daniel e Alexandra se conhecem, ficam amigos, se apaixonam e (meu Deus, que escândalo) rola até um beijo. Alguém imortalizou no YouTube essa cena do primeiro beijo, que deixou várias menininhas com lágrimas nos olhos.


Vovô e eu teve a complicadíssima missão de substituir Carrossel, outra infantil mexicana que o SBT passou, e que fez bastante sucesso. Carrossel foi exibida entre 1991 e 1992, virou mania, deu sustos na Rede Globo e, alguns anos depois, gerou produtos nacionais popularíssimos (novela produzida no Brasil, filme, Larissa Manoela, etc). Os cutucões na Globo foram tão grandes que, coincidência ou não, em 1993 a emissora carioca viria com Sonho meu, de Lauro Cesar Muniz, uma novela que falava da amizade de um velhinho com uma criança. No caso uma garota (Elias Gleizer e Carolina Pavanelli faziam os papéis)..

O que eu não fazia a menor ideia é que ninguém menos que Gael García Bernal era o tal garotinho Daniel de Vovô e eu. Evidentemente anos antes de filmes como Amores brutos e Diários de motocicleta. Quem fazia a Alexandra era Ludwika Paleta. Antes de Vovô e eu, ela por acaso interpretava a mimada Maria Joaquina de Carrossel – o papel que aqui no Brasil coube a Larissa Manoela. Olha os dois aí na foto.

Vovô e eu

O assunto entre Gael e Ludwika (que é mexicana de origem polonesa, daí o nome) não se esgotou na novela. Ano passado, ele contou numa entrevista que os dois foram namorados nessa época e que ele “ficou maluco” por ela. “Ludwika era linda e genial, muito inteligente, muto engraçada. Como não ficar louco com ela?”, contou, dizendo até que os dois sempre se falavam e ainda eram amigos.

Em tempo: Ludwika continuou fazendo novelas, foi casada por onze anos e teve um filho. Hoje é casada com Emiliano, filho do ex-presidente mexicano Carlos Salinas, e teve filhos gêmeos com ele. E tem uma conta no Instagram. Até postou essa lembrança de Vovô e eu outro dia.

Me mandaron esto, súper #throwback Quién se acuerda de Él Abuelo y yo? #tbt🔙

A post shared by Ludwika Paleta (@ludwika_paleta) on

Pauta roubada de Lory Santos