Tem quatro discos solo do produtor Brian Eno, da fase mais clássica de sua carreira, prestes a voltar às lojas em vinil. No dia 4 de agosto saem a estreia “Here come the warm jets” (1974), “Taking tiger mountain” (1974), “Another green world” (1975) e “Before and after science” (1977). Todos retornam em LPs duplos de edição limitada, pela UMC/Virgin EMI e Astralwerks.

Gravados na época em que Eno começava suas primeiras produções (para Ultravox, Talking Heads, Harold Budd, John Cale) os discos têm uma ficha técnica assustadora: Eno contou com músicos como Robert Fripp (guitarra), Phil Manzanera (guitarra), John Wetton (baixo), Phil Collins (bateria), Andy McKay (teclados), John Cale (viola clássica elétrica), Robert Wyatt (percussão). Apesar de vários desses músicos serem conhecidos por seus trabalhos de rock progressivo, o som ficava entre o glam rock e o pré-punk. Se você nunca ouviu nada solo de Brian Eno, é meio milionário e pensa em comprar os vinis porque foi com a cara (compra pra gente também!), pega aí os links que alguém subiu dos dois melhores solos dele desse período: a estreia “Here comes…” e “Before and after science”.

 

Além de seus relançamentos, Brian andou trabalhando num aplicativo para ninguém menos que o Coldplay, junto com seu colaborador Peter Chilvers. O app foi criado especialmente para a nova canção do grupo “Hyptonised”, que sai no próximo EP da banda “Keleidoscope” (previsto para 30 de junho). A ideia é que o aplicativo detecte no ambiente quando a música está tocando, e toque junto uma melodia própria baseada nas notas de piano da canção. O Coldplay recomenda que os fãs usem o app quando forem ao show, porque o resultado vai ser “mágico” (se você não ouviu a música do Coldplay, tá aí embaixo).