Quando a Yamaha tirou o sintetizador DX7 do mercado, em 1989, representou o fim de uma era. Pelo menos lá fora. No Brasil o teclado virou figurinha fácil nas rádios depois dessa época. Tudo por causa do sucesso de grupos de pagode como o Raça Negra, que viviam utilizando o instrumento.

Já na década de 1980, no pop mundial, ele representou o primeiro sucesso verdadeiro em teclados digitais. Era usado para criar ambientações-cabeça em músicas. Ou dar aquele trato em canções pop de rádio. Seu som de piano elétrico apareceu em mais canções do período do que você imagina. Isso sem falar nas suas imitações de instrumentos pouco usuais, como marimbas.

O canal Polyphonic deu uma resgatada na história do Yamaha DX7, descobriu que suas origens remontam aos anos 1960 e foi fundo lá na emoção, lembrando músicas que não teriam sido as mesmas se o DX7 não tivesse surgido. Um troços aí, não sei se você conhece, como Hard habit to break, do Chicago. Ou Take my breath away, do Berlin (e da trilha de Top gun). Confira aí tudo que foi possível apurar sobre aquele teclado digital que mora no seu coração.