Tommy Edison é um cara surpreendente. A começar por ser cego e ao mesmo tempo ser críico de cinema. Ele também trabalha há bastante tempo como repórter e comentarista de rádio. Hoje mantém o canal The Tommy Edison Experience, no qual tira dúvidas sobre como pessoas que não enxergam desempenham atividades que são rotineiras para quem não tem deficiência visual. E mostra (com muito bom humor) que é possível não enxergar e levar uma vida o mais próximo possível do comum. Olha aí.

COMO AS PESSOAS CEGAS DIZEM AS HORAS: Sem muito problema. Tommy Edison mostra um relógio (de ponteiros) em braile. É só tirar a tampinha de acrílico e passar os dedos no mostrador.

COMO AS PESSOAS CEGAS USAM PAPEL-MOEDA. Em algum momento, vai haver a necessidade de chegar para alguém e perguntar: “De que valor é essa nota?”. Mas para guardar o dinheiro e evitar confusões é fácil: só guardar das menores para as maiores para poder ter mais ou menos uma ideia do que tem no bolso e evitar confusões.

COMO CEGOS COZINHAM SOZINHOS EM CASA. Edison, para realizar esse vídeo, não escolheu pratos muito complicados: basicamente é esquentar uma carne e fazer batatas fritas. Mas já é um avanço.

QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE NASCER E SE TORNAR CEGO. De vez em quando, no canal dele, rolam vídeos feitos para esclarecer dúvidas dos espectadores. Esse é um deles. Tommy Edison recebe a chef Christine Ha, que ganhou uma edição do MasterChef (lá fora) e se tornou cega por causa de uma doença autoimune. Christine, que consegue enxergar vultos, lamenta ter tido que parar de dirigir. “Me dava uma sensação enorme de independência”, conta.

COMO UM CEGO E UM SURDO SE COMUNICAM? A expressão “papo de surdo e mudo” costuma ser usada para conversas em que uma parte não entende nada do que a outra diz. Já um papo literal entre um deficiente visual e um deficiente auditivo parece impossível, já que uma das partes não enxerga a linguagem de sinais. Ele recebe a youtuber cega Ricky Pointer e ambos trazem alguns exemplos do que é possível fazer.

COMO AS PESSOAS CEGAS USAM UMA BENGALA BRANCA. Ele ensina. E leva uma pessoa que enxerga a fazer uma tentativa.

COMO É SER UMA CRIANÇA CEGA E FREQUENTAR A ESCOLA. Edison recorda o tempo em que era uma criança e, por obra da mãe, foi colocado numa classe comum. “O colégio queria me colocar numa turma especial para deficientes. Ela insistiu que eu tinha todas as minhas capacidades cognitivas comuns, só era um garoto cego”, recorda ele, que passou a escrever em braile e até a ensinar o método de escrita e leitura. No vídeo, dá conselhos para estudantes cegos e professores que encontram um aluno que não enxerga na sala.

E O QUE EU FAÇO FORA DO YOUTUBE? Edison mostra de onde ele tira seu ganha-pão. Ele realizou um sonho de infância e trabalha em rádio. Uma de suas preferências é o jazz. Ele também dá palestras.