Depois de quase 20 anos de Fenasoft, maior feira de informática da América Latina, rolaram mudanças. Em 2008 a Exame foi cobrir a 16ª edição do evento e a repórter escalada se assustou com o que viu: nada de filas, de gente circulando pelos corredores atrás de brindes, nada disso. A ideia era o que o evento fosse corporativo e nada mais do que isso. Bem diferente da feira de 1999, quando estava para estourar a bolha da internet e esse sistema que hoje em dia faz parte da sua vida quase tanto quanto respirar, comer, urinar e defecar era a maior atração do evento, como dizia a Folha de S. Paulo.

“Maior provedor de Internet do país, com 421 mil assinantes, o Universo Online, empresa dos grupos Folha e Abril, ocupa um estande de 900 m2. O espaço abriga 50 computadores para que os visitantes naveguem e aprendam como a rede funciona, 30 pessoas para atendê-los, salas de bate-papo e um Cadillac-bar, que serve café. O roqueiro Lobão (!) e a dançarina Feiticeira são alguns dos famosos previstos para animar o estande, em que serão distribuídos 100 mil kits de acesso. ‘Vamos mostrar a qualidade do serviço e de 2,5 milhões de páginas de conteúdo, nosso diferencial’, diz Guilhermino Figueira Neto, diretor de marketing e vendas do UOL”.

Não tem nada da Fenasoft 1999 no YouTube – os dois vídeos acima são da feira do ano anterior. Se você está estranhando a presença de Lobão na Fenasoft de 1999, não há nada para estranhar: Lobão se preparava para lançar um disco que só era vendido pela web, A vida é doce.

Isso aí era o Fantástico anunciando a Fenasoft de 1991, abrindo com as ferramentas “fundamentais” num escritório da época, e exibindo na sequência o que seria o escritório do futuro, incluindo telefones digitais e canetas de fibra ótica. A partir de 3:10, o repórter mostra como é usar um laptop num restaurante e acessar a agenda, escrever um texto e mexer em documentos pessoais (só não se fala em internet, que ainda não era utilizável por pessoas comuns).

Isso aí é a Fenasoft 1993 vista por intermédio do estande da XPTO Informática. Até o Derico, saxofonista do Jô Soares, apareceu por lá para dar uma canja.

Já esse aí é o souvenir da RM Sistemas, da Fenasoft 1997. Conhece alguém aí?