Os fãs esperam que Jorge Ben (Jor) faça um show em que toque todo o repertório de um de seus discos mais significativos, A tábua de esmeralda (1974). Até o momento – e olha que o disco está completando 45 anos – é provável que isso jamais aconteça.

O cantor mantém algumas músicas do álbum em seu repertório. Em março, no Circo Voador, tocou, em momentos intercalados, metade do disco: Magnólia, Eu vou torcer, O homem da gravata florida, Menina mulher da pele preta, Zumbi, Os alquimistas estão chegando.

A tábua de esmeralda não foi um disco que fez um grande sucesso e provocou choro e ranger de dentes na Philips, gravadora na qual Jorge estava quando ele foi lançado. Em 1988, ele explicou à Bizz que quando bateu no departamento de vendas da empresa a notícia de que ele queria fazer um disco sobre alquimia, todo mundo “ficou louco, criou caso. Aí o André Midani (diretor da gravadora) respondeu com uma circular dizendo que o disco não só seria feito, como já deveria ter sido gravado e lançado”.

Tem uns clipes do Jorge Ben no Fantástico, em 1974, com vocais regravados

O álbum acabou botando Jorge para falar em entrevistas sobre assuntos que não eram muito comuns a seu trabalho, como magia, esoterismo, pedra filosofal, alquimia. Provocou interesse em gente que nem costumava ouvir ou falar sobre o trabalho de Jorge. Como os anos 1970 eram uma época em que todo mundo, de uma hora para outra, começou a se interessar por esoterismo, magia, terror, espiritismo e outros assuntos, o vetusto O Globo inaugurou até uma seção esotérica, O círculo mágico, assinada por um cara chamado Davi Barrani. Em 7 de abril de 1974, a coluna avisava que Jorge Ben “está procurando a pedra filosofal. Ele agora só fala em alquimia. E seu livro de cabeceira é o tratado hermético de Hermes Trimegistro”.

Tem uns clipes do Jorge Ben no Fantástico, em 1974, com vocais regravados

O LP percorreu o caminho comum de lançamentos de álbuns na época – e a trilha incluía a gravação de um clipe para o Fantástico. Normalmente esses proto-clipes (eram chamados de “musicais” mesmo) não traziam nada mais do que a imagem do artista cantando, além de uns efeitos especiais meio bizarros e, muitas vezes, um balé.

Tem uns clipes do Jorge Ben no Fantástico, em 1974, com vocais regravados
Ih, rapaz. Fonte: https://revistatrip.uol.com.br/trip/o-homem-patropi

E esse texto todo é só para avisar que dois desses clipes de A tábua de esmeralda estão no YouTube, com Jorge Ben fazendo vocais diferentes do disco. O de Os alquimistas estão chegando tem ligeiras modificações na letra. Atenção para as participações de um grupo de atores fantasiados de magos, parecendo que saíram do clipe de See my baby jive, do Wizzard.

O de O namorado da viúva tem só Jorge tocando violão num estúdio, e os vocais estão também meio mudados.