Pouquíssima gente sabe por aqui, mas vários países africanos têm uma produção cinematográfica bastante prolífica. Só para dar uma ideia do quão grande e significativo é esse mercado, a Nigéria está em segundo lugar no ranking de nações que mais lançam filmes por ano, perdendo apenas para a Índia (os EUA, a despeito do que muitos imaginam, encontram-se “apenas” na terceira posição). E o mais curioso é que cada local apresenta suas próprias peculiaridades. Enquanto a Nigéria investe pesado em temas envolvendo misticismo e demônios, Uganda faz trabalhos com muita ação e Gana gosta de falar de ficção científica.

O que nos leva até Rockson Emmanuel, um cineasta local que teve uma ideia no mínimo inusitada: por que não fazer uma versão dramatizada da lenda africana de Ananse (uma criatura metade homem, metade aracnídeo que ajuda os humanos e castiga os criminosos), porém caracterizando-a como se fosse o bom e velho Homem-Aranha que nós conhecemos dos gibis?

Tudo muito bem, só que como cristão fervoroso que é (até então, tudo que ele havia dirigido foram filmes de temática religiosa com títulos como Jeová é o Maior, Deus é real e eu posso provar e Jesus é a única esperança) Rockson logo se viu num dilema: como transformar uma criatura folclórica e de uma crença diferente da sua em herói??

Conheça Ananse, o Homem-Aranha de Gana

Após muito pensar, resolveu tudo do modo mais fácil: Colocando nosso famigerado amigo da vizinhança como o VILÃO da obra, claro! E assim surgiu Ananse, um dos filmes mais esquisitos que a sétima arte teve notícia.

Como o orçamento dos seus filmes são irrisórios (para não dizer inexistentes), nós não vemos Ananse saltando entre prédios. Ele também não lança mais teias e sim labaredas (!!!).  Dá para contar nos dedos quantas vezes ele aparece em cena. E, quando o faz, apenas aplica uns golpes de karatê em quem cruza seu caminho, enquanto é perseguido pelo espírito de uma menina com poderes paranormais que foi assassinada por ele anteriormente e o procura buscando vingança.

Conheça Ananse, o Homem-Aranha de Gana
Nem todo heroi usa capa: Ananse caindo na porrada

Achou confuso? E é, nada faz sentido, portanto não perca tempo tentando entender… aliás, eu iria além: não perca tempo sequer assistindo! Assim como Kill bill, Emmanuel dividiu Ananse em duas partes, mas não havia razões para tanta megalomania. Na primeira metade praticamente nada acontece e na segunda, quando você acha que vai haver um desfecho interessante (Atenção: Alerta de Spoilers!) eis que surge aos 45 do segundo tempo um padre que encaminha tanto a alma do Homem-Aranha quanto a da tal menina paranormal para um descanso merecido na morada do Senhor. Fim!

Sim, o embate tão esperado entre os personagens fica só na promessa! De chorar, não? Ao que tudo indica, o povo ganês também não curtiu, pois Emmanuel não se aventurou mais fazendo filmes de aventura e resolveu voltar para sua zona de conforto, produzindo os mesmos trabalhos religiosos de antes.

Ficou curioso(a) para conferir, amigo(a) leitor(a)? Então prepare-se: Já adianto que conseguir baixá-lo não é uma tarefa fácil. Mesmo em comunidades especializadas em cinema alternativo e/ou trash, é raro aparecer um torrent ativo. Mas alguém jogou os dois filmes no YouTube! Até alguém tirá-los do ar, estão aí. Divirta-se!

Cenas do Homem Aranha de Ananse, escolhidas a dedo.