Velvert Turner: o único aluno de guitarra de Jimi Hendrix

O primeiro disco dele, lançado dois anos após a morte de Hendrix (e relançado neste ano), tinha até regravação de "Freedom"

0
207
Velvert Turner: o único aluno de guitarra de Jimi Hendrix

Você provavelmente nunca ouviu falar de Velvert Turner (1951-2000). O guitarrista americano se juntou à pequena fileira de músicos que foram considerados seguidores de Jimi Hendrix (1942-1970), durante os anos 1970. Com uma vantagem: foi aluno do próprio.

Jimi Hendrix tinha técnicas bem peculiares de guitarra e não costumava dar aulas do instrumento – no máximo uma dica ou outra, quando tinha disposição. Em 1966, Velvert, aos 15 anos, morava no Brooklyn e conheceu Hendrix, que estava iniciando carreira e dentro em breve seria um dos nomes mais famosos do mundo da música.

Velvert ficou amigo do músico e passou a frequentar seu apartamento. E passou a ter aulas de guitarra com ele. Ou melhor: passou a ter aulas de como Hendrix tocava, que era uma técnica completamente diferente e inovadora. Detalhe: Velvert, ao contrário de Hendrix, era destro. Nas aulas que tinha com Hendrix, tinha que usar um espelho (enorme!) para poder tocar da mesma maneira que ele tocava e aprender as lições.

O papo de que o adolescente era amigo de uma estrela pop não era segredo. Tanto que Velvert começou a tirar onda com a rapaziada e explanou que era amigo e aluno do autor de Purple haze. Deu errado: o jovem foi considerado o maior cascateiro por seus amigos. O único que acreditava nas histórias do adolescente era seu amigo Richard Lloyd, que depois viraria guitarrista do Television. Tanto que Lloyd acabou sendo apresentado a Hendrix e ficou amigo dele – além de levar um soco na cara dado por Hendrix (sobre o soco, você já leu no POP FANTASMA).

Hendrix, você sabe, morreu em 1970. A carreira de Velvert só começou mesmo a partir daí, quando o guitarrista e cantor se juntou a Prescott Niles (guitarra), Christopher Robinson (teclados) e Tim McGovern (bateria) e montou o Velvert Turner Group. O produtor Tom Wilson, que trabalhara com uma gama de artistas que ia de Bob Dylan a Velvet Underground, curtiu o som de Velvert e produziu um disco dele para o selo americano Family em 1972.

Velvert Turner Group, o disco, era tão reverente a Hendrix que chegava a ser cara de pau. Além do visual do cantor, a contra-capa tinha uma foto tirada com lente olho-de-peixe (igualzinho à estreia de Hendrix, Are you experienced?). O vocais de Velvert também lembravam bastante o de seu modelo, em canções como Talkin ’bout my baby e Madonna (Of the seven moons).

Para acentuar mais ainda a semelhança, além do material autoral, Velvert também gravava uma música do guitarrista, Freedom. Nem mesmo o público de Hendrix se animou com o LP, apesar de Velvert Turner Group ter ganhado até uma edição caprichada pela Philips na Alemanha.

O grupo terminou e os ex-integrantes foram reaparecendo em formações de new wave, como The Knack (Prescott) e The Motels (McGovern). Robinson, por sua vez, tocou com uma turma que vai de John Lennon a New York Dolls. Já a história de Turner teve mais um (obscuro, por sinal) lance em 1976: o cantor e guitarrista lançou um disco solo, Velvert Turner, com músicas como I was possessed by the devil e I’ll show you.

A sorte não bateu na porta de Velvert: o segundo disco saiu pelo infame selo Tiger Lily, especializado em discos “promocionais” que mal chegavam às lojas e eram fabricados apenas para que a gravadora ficasse isenta de impostos. Esse LP não está nem no YouTube. O músico deu uma bela sumida depois disso. Fez um show ou outro e tocou em 1977 num disco solo epônimo de outra figura protegidíssima por Hendrix – Arthur Lee, do Love.

Velvert morreu aos 49 anos em 11 de dezembro de 2000. Há bem pouca informação sobre o músico na internet, ou sobre como ele vivia. Nos últimos anos de vida trabalhou com atendimento a pessoas em situação de abuso de substâncias, numa clínica chamada Samaritan Village, no Brooklyn. E uma novidade para fãs e futuros fãs é que Velvert Turner Group foi recentemente relançado em vinil rosa pelo selo Org Music, após várias décadas fora de catálogo. Curiosamente o único aluno conhecido de Hendrix está sendo relembrado no ano do cinquentenário da morte do guitarrista. Antes tarde do que nunca.