Se você ainda procurava uma historinha triste para assistir durante o Natal, tente essa aqui. Junky’s Christmas é um curta-metragem feito em claymation (técnica, hum, “arenosa” de animação), com produção de Francis Ford Coppola, dirigido por Nick Donkin e Melodie McDaniel, e inspirado em conto de William S. Burroughs. Com narração do próprio, que aparece numa inacreditável calma natalina, nas primeiras cenas do curta. Foi feito em 1993 a partir de uma historieta escrita em 1989.

O filme tenta, a seu modo, contar uma historinha de milagre de Natal, com direito a redenção, salvação e vida louca pelas ruas. Danny, o viciado, não tem nem grana para comprar heroína e seu grande ato de bondade é dividir sua única dose com um sujeito que sofre de pedras nos rins.

A mensagem pode ser vista como o mesmo esquema de manipulação de culpa de todos os contos de Natal – em que aparecem fantasmas dos natais passados e gente com muito, mas muito menos privilégios que você e menos queixas a fazer a respeito da vida. Mas que é algo bem sui generis, não há dúvida.

Ah, sim: uma versão diferente (e anterior) dessa história de Burroughs apareceu no conto The “priest” they called him, de 1973, que vinte anos depois foi lançado num single que trazia o escritor narrando o texto sob trilha sonora feita por ninguém menos que Kurt Cobain. O guitarrista e cantor do Nirvana se tornaria amigo do autor. Você lê o texto aqui.

E teve aquela vez em que criaram uma teoria da conspiração maluca envolvendo Kurt Cobain e uma invenção da turma de Burroughs, a dreamachine. Leia sobre isso aqui.