A Mystic Moods Orchestra foi, digamos, aposta de gravadora. Tanto foi, que o disco da foto acima, Awakening, figura num anúncio de novos discos da Warner para 1973. O The Guardian define o LP como “uma das 101 gravações mais estranhas disponíveis no Spotify” e afirma que se trata do encontro de John Cale com o easy listening. Para fãs de nerdices, uma info interessante é que The first day of forever, uma das melhores canções de Awakening, era aquela música que aparecia na abertura americana do seriado japonês Spectreman, só que com outra letra. Olha aí.

Mystic Moods Orchestra: o grupo doidão que serviu de trilha para o Spectreman
O tal anúncio da Warner

Ou melhor, a música do Spectreman (um herói andróide, cujas aventuras eram na mesma linha dos quase xarás Ultraman e Ultra Seven) é que punha outra letra e outra melodia na criação da Mystic Moods Orchestra. Um grupo que funcionava basicamente em estúdio, e que de fato era uma espécie de cópula bizarra entre os discos de organistas ou maestros (“música para dançar”, “música para relaxar”, etc) e os experimentalismos.

O líder do MMO era um produtor californiano chamado Brad Miller (1939-1998), que tinha no currículo o fato de ser um dos pioneiros na gravação quadrifônica, feita para ser escutada com quatro caixas acústicas. Quando bem moleque, no Sul da Califórnia, Miller passava os dias na estação ferroviária, aprendendo tudo sobre motores.

Em 1958, já mexendo com engenharia de som, montou com um amigo um selo que se tornou clássico, a Mobile Fidelity Records. Foi a Mobile Fidelity que passou a investir, após os anos 1980, em relançamentos especiais de clássicos da música pop para audiófilos e maníacos por som em geral. Um dos discos mais bem sucedidos do selo foi a reedição de The dark side of the moon, do Pink Floyd, com truques a mais de mixagem e remasterização, em 1979.

Para o primeiro lançamento, Miller voltou às ferrovias e gravou os sons de algumas das últimas locomotivas a vapor em operação. Numa madrugada, um DJ da rádio KFOG, Ernie McDaniel, resolveu tocar um dos discos de ruídos da Mobile Fidelity, Steam railroading under thundering skies, como som de fundo para um álbum de easy listening. Os ouvintes gostaram tanto que McDaniel acabou contando sua ideia para Miller, que adorou.

Olha aí o primeiro disco lançado pela Mystic Moods Orchestra, One stormy night, de 1966. Basicamente, Miller pegou uma orquestra tocando sucessos da música pop e mixou com vários barulhos que vinha gravando. Mesma ideia do tal DJ, por sinal.

Mexican trip, de 1972, misturava música mexicana a ruídos de pássaros, de pessoas falando na rua e de (adivinhe) trens.

Esse troço lascivo aí é Erogenous, de 1974, disco feito para acompanhar encontros sexuais. Em algumas edições, esse disco veio acompanhados de mimos como a foto de um casal transando, ou uma calcinha.

Pode parecer a maior viagem, mas esses discos de Miller e da MMO serviram para unir gerações, já que estiveram nas discotecas de casais de meia-idade, audiófilos empedernidos, hippies, roqueiros, fãs de música pop, etc. Awakening seguia o nível de doideira. Além da pérola pop que era The first day…, tinha ainda a faixa-título, que você ouve aí embaixo. E que, com certeza, foi a inspiração de Raul Seixas em Gita. Vai ouvindo e deixar chegar lá pra 1h38 que você vai ver que é praticamente a mesma canção – com direito a um “eu sou, eu fui, eu vou” falado.

UPDATE: Mostramos a canção para Rick Ferreira, guitarrista de Raul Seixas (e que tocou violão em Gita). Ele reconheceu semelhanças, mas disse que nunca tinha ouvido falar da Mystic Moods.

Raul Seixas, aliás, devia amar loucamente esse disco. Depois de 33 segundos, você acha aí a referência da introdução de A maçã, parceria dele com Paulo Coelho e Marcelo Motta.

Miller descontinuou a Mystic Moods e focou mais na Mobile Fidelity. O selo, após uns momentos de dificuldade, continua na ativa, vendendo relançamentos de 180g e CDs banhados a ouro. Uma das poucas fontes para saber algo sobre Miller é esse site aqui, além da busca dos exemplares antigos da Billboard, no Google Books. Nas plataformas de streaming, dá pra achar alguns poucos discos da MMO. E praticamente tudo deles vale MUITO a audição.