Parece que o músico e DJ Goldie fez finalmente a revelação que todo mundo (bom, todo mundo que ama grafite e artes de rua) queria saber: a identidade do artista do grafite Banksy, jamais revelada. E, sim, ele seria realmente – indo ao encontro de suspeitas levantadas pelo periódico Daily Mail no ano passado – o vocalista da banda de trip-hop Massive Attack, Robert Del Naja.

A bobeada no assunto foi cometida por Goldie durante um papo com o podcast Distraction Pieces, quando o artista reclamava da popularização e da massificação do grafite, dizendo que se uma tira de plástico bolha fosse impressa numa camiseta e lá tivesse a assinatura “Banksy”, aquilo venderia horrores. “Sem desrespeito a Robert, acho que ele é um artista brilhante. Ele mudou o mundo da arte”. Goldie mudou de assunto rapidamente e não houve réplica ou tréplica quanto ao assunto.

Em setembro do ano passado, uma reportagem do Daily Mail levantou suspeitas de que Del Naja fosse Banksy. O jornalista investigativo Craig Williams reparou que nas cercanias dos shows do Massive Attack costumavam aparecer – imediatamente antes ou depois das gigs – murais feitos por Banksy, ou exposições dele. Detalhe: isso aconteceu pelo menos uma dúzia de vezes. Olha só esse infográfico publicado pelo Daily Mail na época.

Goldie dá a entender que vocalista do Massive Attack é Banksy

Um detalhe é que Robert, que é conhecido como “3D”, foi grafiteiro nos anos 1980 e sempre disse que é amigo de Banksy. Para Williams, Del Naja é ou o próprio Banksy, ou é o líder de um time de grafiteiros que realiza os murais.

Del Naja negou, claro. Em um show no ano passado, chegou a falar para a plateia que “todos nós somos Banksy”. Depois falou ao próprio Daily Mail que “os rumores da minha identidade secreta são enormemente exagerados. Seria uma excelente história mas infelizmente não é verdade. Ele é um camarada, de qualquer maneira. Está em muitos de nossos shows. É puramente uma questão de logística e de coincidências, nada mais do que isso”.

Durante um bom tempo, suspeitou-se (por causa de uma reportagem do próprio Daily Mail) que o artista fosse a identidade secreta de um funcionário de estacionamento chamado Robin Gunningham – o próprio jornal depois voltou atrás e desmentiu. Williams, que escreveu um artigo sobre o assunto e sobre as suspeitas a respeito de Del Naja, começou a investigar o caso do Massive Attack ao se questionar se Banksy seria mesmo uma pessoa só ou várias. “E se ele for um grupo de pessoas que têm feito stêncil em diferentes locais, em casa ou em volta do mundo?”.

Via FactMag