Em 1996, Ozzy Osbourne estava de volta à mídia com o lançamento do festival Ozzfest, cuja primeira data rolo em Phoenix, Arizona, em 25 de outubro daquele ano. Também continuava na turnê de lançamento de Ozzmosis, seu disco de 1995, puxado pela faixa Perry Mason – e que inclusive trouxe Ozzy ao Brasil, em shows no Rio e São Paulo. E naquele ano, ele também deu uma entrevista ao programa do radialista Howard Stern contando uma bizarra experiência recente na clínica de reabilitação Betty Ford.

O músico tinha uma relação de para-e-anda com as drogas fazia tempo. E, depois de uma época em que as coisas começaram a ficar especialmente perigosas, o rehab tornou-se uma bandeira para, antes de tudo, manter sua carreira e seu casamento com Sharon Osbourne (por sinal, carreira e casamento interligados, já que ela é sua empresária). A experiência lá acabou sendo, er, sui generis. A começar porque Sharon disse que ele seria internado para aprender a “beber como um cavalheiro”.

>>> Veja também no POP FANTASMA: Uma conversa franca com Ozzy Osbourne sobre sexo na TV

“Fui pra lá com um terno, tipo, Giorgio Armani e gravata e estava numa de ‘alguém pode me dizer onde ficam os coquetéis?’ E todos me olhavam como se eu tivesse acabado de chegar de Marte!”, disse Ozzy, respondendo a Stern que, sim, perguntou na clínica de reabilitação onde ficava o bar. “Foi o que eu fiz, cara! Foi o único jeito da Sharon me colocar no maldito lugar!”

Detalhe que Ozzy ainda levou drogas para a clínica: estava com o bolso cheio de cocaina, Valium e seringas. Só se deu conta do que estava acontecendo quando mandaram que o cantor esvaziasse os bolsos. “A única forma da minha esposa me convencer a ir foi falando, tipo, ‘Olha, eles vão te ensinar a fazer direito’. Sabe, porque eu achava que estava fazendo errado — eu sempre acordava em lugares bizarros e inesperados”.

DEIXE UMA RESPOSTA