Você já ouviu o Invisível? Se não ouviu, vamos lá: o Invisível é o podcast deste site, o Pop Fantasma. Vai para a web toda quinta-feira ao meio-dia, após algumas mudanças de horário. Costuma girar em torno de uma hora, e traz uma espécie de trilha sonora semanal do site, com as músicas que aparecem nas matérias que eu publico, além de novidades, raridades e um ou outro hit que eu estou a fim de tocar, e pronto. Estamos na edição 66 e, por uma questão de precisar poupar tempo, a edição 67 já tá gravada.

O Invisível não é um podcast comum: ele tem estrutura de programa de rádio. Eu passo um bom tempo escrevendo os textos do programa, faço toda a locução, edito, penso nas músicas de abertura (é uma a cada edição), estou começando a pensar de levinho em vinhetas. E ele funciona como uma espécie de mixtape super desenvolvida, com explicações sobre as músicas, links com as matérias do site, etc.

De modo geral eu prefiro até deixar de lado o termo “podcast” e focar em coisas que realmente expliquem o que o programa é. Daí falo em mixtape, trilha sonora semanal, etc. Porque é meio por aí mesmo – ele é uma trilha do site, para acompanhar a leitura. Eu poderia focar apenas numa playlist do Spotify (vai ter), mas a ideia é brincar um pouco de rádio, ainda mais nessa época em que todo mundo reclama que o rádio não tem nada que preste. Fazer o roteiro, pesquisar, narrar, etc. E, de acordo com um conceito que eu pensei lááá atrás, o Pop Fantasma meio que jpa funciona com dinâmica de rádio.

Eu nunca havia falado disso aqui por pura falta de tempo, mas vamos lá: o Invisível também está presente em três webradios. Sim, porque se você se irrita muito com o que as rádios andam tocando, tem uma galera aí botando som direto na web, ou em arquivos do Mixcloud, ou do Soundcloud. No caso do Invisível, ele está na Mutante Radio às quintas 23h (reprise às sextas 22h), na Rádio Graviola às sextas 19h (reprise segunda 22h) e na Cult FM às sextas 21h (reprises domingo 15h, segunda 21h e quarta 15h).

Eu se fosse você parava para dar uma olhada em tudo que essa rádios andam divulgando. Cada uma delas tem sua própria característica e programas diferentes, comandados por DJs, radialistas, jornalistas etc. Tem muita coisa bacana, até prefiro nem citar nada para não correr o risco de esquecer alguém.

Vão rolar outros projetos envolvendo rádio – e envolvendo tirar o Pop Fantasma do ambiente puramente online – assim que eu tiver um tempo. Mas isso aí já é o principal: você pelo menos pode ouvir sobre o que está lendo aqui no site. Se você já se sentir um pouco mais envolvido com o site a partir disso, já ganhei o dia.