Em 1977, o produtor ítalo-germânico Giorgio Moroder viu o filme Star wars (Uma nova esperança, enfim) e se deteve especialmente na chamada “cena da cantina”, em que um grupo de criaturas toca um jazzinho das antigas. Não gostou do que ouviu. “Eles supostamente tocavam a música do futuro, mas não achava que aquilo era a música do futuro. Até poderia parecer, mas não era. Daí achei que a única maneira de fazer aquilo era usar computadores, apenas computadores”, disse ele numa entrevista em vídeo ao jornal The Guardian.

Moroder vinha desde o ano anterior trabalhando no que seria o quinto disco de Donna Summer, I remember yesterday (1977), e tanto ele quanto a cantora pensavam em combinar disco music com elementos dos anos 1940, 1950, 1960, 1970 e… música do futuro. O hit maior do disco, a faixa-título, trazia uma seção de sopros que lembrava o som dos anos 1940. Mas faltava o som do futuro (que não poderia lembrar em nada a sonoridade de Star Wars que havia causado tristeza em Moroder).

“Daí achei que a única maneira de fazer aquilo era usar computadores, apenas computadores. Tinha esse moog enorme e um cara trabalhando comigo e falamos: ‘Vamos começar’. Mas não sabia como começar, e pensei que deveríamos começar pelas linhas de baixo. Fomos para aquele riff inicial e fomos aumentando a velocidade”, contou Moroder, que depois esbarrou num problema mais básico ainda para um músico, compositor e produtor: como fazer para que os barulhos que ele fazia no computador se transformassem em uma melodia com começo, meio e fim e contassem uma história?

Sim, porque até então havia apenas microfonia, riffs de sintetizador e uns barulhos. Depois disso, foram acontecendo alguns milagres da tecnologia: quando o engenheiro de som começou a mixar os primeiros ruídos produzidos por ele no Moog, começaram a aparecer uns delays, imediatamente incorporados à música. Moroder começou a cantarolar uma melodia e, logo logo, Donna Summer criou vocais e letras.

No vídeo acima, Moroder, mais feliz que pinto no lixo, demonstra como começou a compor a faixa e revela um dos maiores elogios que já recebeu na vida pelo trabalho em I feel love. “Foi quando Brian Eno pegou o disco, mostrou para David Bowie e disse: ‘Acho que escutei o som do futuro'”, contou.

I feel love foi sucesso imediato. E provocou diversas reações ao longo do tempo. Moroder foi tido como um produtor que deu um passo além da disco music, e tanto ele quanto Donna Summer foram tidos como “inauguradores” dos anos 1980 a partir dos sintetizadores da faixa – num ano, o de 1977, que por sinal foi repleto de sintetizadores nas paradas. E a música ainda fez com que muita gente, sem nem saber disso, estivesse consumindo música eletrônica.

Entre esses novos consumidores e divulgadores do estilo musical, estava a rapaziada do programa norte-americano Soul train, mais conhecido pelos seus paradões de R&B, soul, dance/pop, hip hop e disco music. E que, a título de mostrar o mais novo hit da disco music, pôs sua trupe de dançarinos para dançar ao som da música do futuro (que depois passou a ser chamada de EDM, electronic dance music) numa certa edição de 1977.

Olha aí que legal.

Para quem se interessa por mais dados técnicos, tem essa entrevista aqui em que Moroder conta mais detalhes sobre a composição da faixa.

Warning: A non-numeric value encountered in /home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 326 Call Stack: 0.0001 397536 1. {main}() /home/popfantasma.com.br/public/index.php:0 0.0001 397824 2. require('/home/popfantasma.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/popfantasma.com.br/public/index.php:17 0.4099 10748616 3. require_once('/home/popfantasma.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/popfantasma.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4222 10838056 4. include('/home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/single_template_3.php') /home/popfantasma.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:78 0.6152 11397672 5. locate_template() /home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/single_template_3.php:52 0.6153 11397784 6. load_template() /home/popfantasma.com.br/public/wp-includes/template.php:671 0.6153 11398232 7. require_once('/home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/loop-single-3.php') /home/popfantasma.com.br/public/wp-includes/template.php:722 0.6569 11419496 8. td_module_single->related_posts() /home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/loop-single-3.php:35 0.6572 11421752 9. td_block_related_posts->render() /home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_module_single_base.php:906 0.7550 11960784 10. td_block_related_posts->get_block_pagination() /home/popfantasma.com.br/public/wp-content/themes/Newspaper/includes/shortcodes/td_block_related_posts.php:45