No fim dos anos 1970 e começo dos 1980, rolou uma modinha de artistas fazerem propagandas de calças jeans – numa época em que o tecido já havia passado da fase de virar “roupa jovem” e tinha virado uma peça pop, que servia para tudo e teoricamente merecia estar no armário de todo o mundo.

Brooke Shields fez uma propaganda ~ousada~ para a Calvin Klein e a GV, de Gloria Vanderbilt (lançada por Mohan Murjani, um magnata da fabricação e do comércio de roupas nos EUA, Reino Unido e Ásia), chamou ninguém menos que Debbie Harry para fazer comerciais de TV e aparecer em revistas.

Debbie Harry fazendo propaganda de jeans em 1980

Os dois comerciais com Debbie Harry saíram em 1980 e, para a campanha, a cantora do Blondie só gravou um filme (como a turma da publicidade gosta de chamar os reclames). Para a outra, posou para uma série de fotos, e uma delas apareceu até na capa da famosa Bizz sobre new wave, da qual já falamos por aqui. No tal filmete que ela fez, Debbie deu uma repaginada no visual e ficou parecendo (er) uma Patti Smith loura.

Ah, sim, no primeiro filme, ela passa por um muro cheio de pichações de Jean-Michel Basquiat e chega numa festa num cocó esqusito em que rolam participações especiais de John Lurie (Lounge Lizards, tocando sax), da estilista Anya Phillips e de James Chance (Contortions).

Veja também no POP FANTASMA:
– Aquela música do Blondie que você adora, era na verdade do The Nerves
– Quando Debbie Harry quase fez um filme com Robert Fripp, e gravou David Bowie com ele
Aquela vez em que Debbie Harry escapou do serial killer Ted Bundy
– Debbie Harry no TV Party ensinando a dançar o pogo
– Blondie: Debbie Harry clicada por Chris Stein, na Punk Magazine
Gary Lachman: o lado ocultista do ex-baixista do Blondie