Tem dois discos brigando pelo posto de “primeiro álbum a ser lançado em CD”. Se hoje em dia a maior galera diz que prefere vinil, cassette ou formato digital (ou baixa na internet mesmo, e fatura liquidada), em 1982 dois artistas extremamente populares tiveram a honra de ganharem edições no disquinho prateado. Separados por dias, viram a luz do laser Billy Joel com o disco 52nd Street, de 1978 (mas só na edição japonesa) e o ABBA com The visitors, de 1980.

O CD do ABBA foi fabricado antes do de Billy Joel, mas acabou sendo lançado depois de 52nd Street, e direto nos Estados Unidos. Foi o último disco do grupo, gravado sob condições extremamente adversas e com os dois casais já separados. É o primeiro disco em que as cantoras Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad não cantam juntas, por exemplo – e quase todo o álbum é tomado por vocais solo (uma opção da dupla de compositores, Benny Andersson e Björn Ulvaeus). Facilitou para o lançamento em CD o fato de The visitors ter sido todo gravado em processo digital – novidade na época.

Aquela vez em que escolheram o ABBA pra inaugurar o formato CD

Na foto acima, Bjorn e Benny posam com duas cópias do disquinho. Note o jurássico aparelho de CD atrás deles.

A Austrália, país que adotou o ABBA, só iria conhecer a banda em CD em 1983, porque os disquinhos prateados só estariam disponíveis lá nesse ano. Olha aí uma reportagem de 1982 da Australia Brodcasting System sobre os discos.

E o que interessa é que um fã da banda arrumou uma edição de 1982 de The visitors e tocou o disco no primeiro modelo de CD player lançado pela Philips. E fez um vídeo.

Era só isso, pode ir. Aliás, antes mesmo do ABBA e do Billy Joel, Living eyes, um disco dos Bee Gees de 1981, já havia sido fabricado em CD, mas só para fins de demonstração. Falamos disso depois.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here