O rock alternativo, que representa bem pouco no mercado pop de hoje em dia, é uma força do mal, dominada por espíritos malignos e adoradores do diabo. Pelo menos era o que acreditavam os apresentadores de um programa chamado Valley of decision, apresentado num canal a cabo do Michigan por volta de 1991. O escritor Mark Spaulding (autor de Heartbeat of the dragon: Occult roots of rock and roll) foi lá apresentar uma série de LPs e explicou porque cada um deles fazia propaganda do coisa ruim.

O mais curioso é que a série de discos apresentada pela turma do programa é uma playlist boa pra cacete. Na sequência de 22 minutos acima, eles mostram álbuns de Tragic Mulatto (a capa de Judo for the blind, um disco da Alternative Tentacles de 1984 que mostrava Jesus Cristo sentado na privada),  David Bowie (o disco Lodger tinha uma imagem de Cristo na capa dupla), Christ on a Crutch (“esse disco me deixa com raiva”, fala de Spread your filth, de 1988), Crass, The Damned, Jesus and Mary Chain, The Birthday Party, Jesus Couldn’t Drum, Bob Mould, Crown of Thorns, Severed Heads, Psychic TV, The Cramps, Jethro Tull, Blue Hippos, Wire Train, The New Christs e Black Sabbath.

Via Dangerous Minds