Em várias capas de discos dos anos 1970, o crédito para direção de arte e criação da capa vai para um sujeito chamado Anthony Hudson. Anthony foi diretor de arte do selo Asylum, criado por David Geffen para divulgar os trabalhos da nova geração de cantautores dos anos 1970.

Ele fez também trabalhos para outras gravadoras e criou capas para nomes como Neil Young, para o cantor e ator americano David Blue, e para o Grin, banda de rock liderada pelo futuro integrante da E Street Band de Bruce Springsteen, Nils Lofgren. Boa parte das artes de Anthony podem ser encontradas em álbuns de artistas como Joni Mitchell (Court and spark, de 1974) e Judee Sill (Heart food, de 1973). At Crooked Lake, disco de 1972 do Crazy Horse, também teve sua capa (bem criativa, por sinal) feita por Anthony.

Anos depois, Anthony  seria mais conhecido como pai de ninguém menos que Slash, guitarrista do Guns N Roses, por sinal. Saul Hudson, o popular Slash, é londrino criado nos EUA e o pai também nasceu na Inglaterra. Assim que a família Hudson (incluindo a mãe Ola, figurinista que desenhou roupas para David Bowie e Ringo Starr) foi morar em Los Angeles, instalaram-se em Laurel Canyon, lugar lotado de músicos, artistas e figurões da indústria fonográfica. Joni Mitchell morava ali por perto, e David Geffen, patrão do pai Anthony, também.

Por sinal, Slash jura que quando o Guns n Roses assinou com a Geffen Records nos anos 1980, o dono da empresa não o havia reconhecido. Só soube que ele era aquele garoto que conhecera alguns anos antes ao telefonar para Ola num Natal e perguntar como andava a família.

Olha os dois juntos aí não faz muito tempo (Ola, a mãe de Slash, separou-se do marido ainda nos anos 1970 e morreu em 2009).