Do começo do século passado até os anos 1970, a divisão britânica da empresa cinematográfica parisiense Pathé, produzia curtas com reportagens que eram exibidas antes dos filmes, nos cinemas europeus. E há alguns anos, ela jogou no YouTube várias de suas produções. Boa parte delas é muito interessante para quem ama rock e cultura pop em geral. Até por mostrar o dia a dia e os costumes de Londres nos anos 1960, além de algumas maluquices da época. Olha só um deles aí, Beat school, de 1961.

Se você não está com tempo de ver agora e marcou na agenda para assistir depois, prepare-se para a surpresa. É uma reportagem feita numa escola “moderninha”, a Burgess Hill School, em Hertfordshire. Basicamente uma escola para rockers e mods, se é que eles conseguiam conviver no mesmo espaço sem que rolasse porrada. E para garotos e garotas interessadas em arte.

Os alunos frequentam a sala do diretor da Beat School para ouvir música. Os mais velhos fumam na sala de aula (a cena de uma menina, nos jardins da insituição, fumando e tocando gaita quase ao mesmo tempo é bem engraçada). E todos dançam rock durante o período letivo. Aliás, crianças mais novas fazem pinturas abstratas na aula de arte. Uma menina aparece jogando tinta num papel, e o narrador solta a frase: “Esse tipo de pintura parece meio estranho, mas pelo menos ela está se divertindo” 😀

Será que essa escola existe até hoje? Bom, existe uma Burgess Hill School em Sussex, na Inglaterra. Mas é uma instituição para garotas, também de caráter progressista, que existe desde 1906. E é igualmente apaixonante.

De brinde, pegue aí o último grito da moda em 1969, também coberto pela British Pathé. A coleção Paco Rabanne de vestidos (alguns deles feitos de metal). Boa viagem no tempo!