Não há muito para se assistir online de um dos maiores clássicos do cinema underground americano, Brand X (1970), dirigido por Wynn Chamberlain, morto em 2014 – e cuja seleção de paródias cruéis de comerciais de TV colocou o longa na lista de produções que nem todo mundo viu, mas quem viu saiu de lá decidido a produzir algo. O trailer do filme, que alguém jogou no Vimeo, já dá uma bela mostra do quem vem por aí. E não aconselhamos assisti-lo no trabalho.

Trata-se do primeiro filme a ter Sam Shepard, morto nesta quinta (27) como ator – ele aparecia coberto de pasta de amendoim e ganhava lambidas da namorada, que queria mostrar o quanto o produto era gostoso. Não chegou a ser algo que deu visibilidade à sua carreira.

Brand X
Naquele período, Sam – habituê da turma que gravitava em torno do célebre Chelsea Hotel e brother de Andy Warhol – andava ocupado com outras coisas. Escrevia peças, namorava a escritora e futura cantora Patti Smith e, entre 1967 e 1969, tocava bateria e percussão no grupo psicodélico-folk-doidaralhaço Holy Modal Rounders (aquele mesmo, que apareceu na trilha de Sem destino – Easy rider, com If you want to be a bird). Shepard tocou em dois discos da banda, Indian war whoop (1967) e The Moray Eels eat The Holy Modal Rounders (1969).

Hoje é até mais tranquilo (ok, em termos) deparar com Brand X por aí, porque o filme foi restaurado em 2011 (após várias décadas em que não havia notícia de nenhuma cópia) e andou passando por algumas mostras – Wynn chegou a dar entrevista para o jornal O Globo contando histórias do filme e dizendo crer que todos os programas de humor que vieram depois (incluindo aí Monty Phyton) copiaram suas fórmulas direto do filme, que traz o lendário ator e poeta Taylor Mead, habituê de produções de Andy Warhol, interpretando o diretor maluco de uma estação de televisão. Para o The Guardian, o diretor e sua mulher Sally lembraram que o filme surgiu quando estavam confinados numa casa em Staatsburg, Nova York, em 1969, e a única coisa que faziam o dia inteiro era assistir à televisão. “Não conseguimos sair. Não tínhamos assistido muita televisão durante o dia, e Wynn foi imediatamente atingido por sua banalidade e superficialidade”.