AC/DC, você sabe, é o nome de uma das bandas mais históricas do rock. Que andou tendo baixas, algumas por causa de saídas dos integrantes (o baixista Cliff Williams), outras por causa de morte (o guitarrista Malcolm Young). O nome do grupo é uma expressão bastante comum, e que tem duplo significado – batendo tanto na boa e velha corrente alternada/corrente contínua quanto numa gíria britânica para pessoas bissexuais. E já andou aparecendo também nos nomes de algumas músicas. Olha aí.

THE SWEET – “AC-DC”. Uma das bandas mais populares do glam rock britânico, popularizada com hits como Ballroom Blitz. No disco Sweet Fanny Adams, de 1974, o primeiro da fase glam-hard rock do grupo (que anteriormente era mais identificado com o bubblegum pop), encerravam os trabalhos com essa faixa. O tema era “o outro” significado da expressão, e a letra falava de uma garota que se dava tão bem com as mulheres quanto os rapazes.

SENTIERI SELVAGGI – “AC/DC”. Esse grupo de música clássica criado na Itália é um coletivo de músicos que trabalha com trilhas de filmes, óperas, musicais, e tem sido convidado regular de festivais de música contemporânea. Em 2014 lançaram um disco chamado AC/DC, com a ajuda de vários colaboradores. Essa é a faixa-título.

MICHEL LEGRAND – “AC/DC”. Não achamos esse áudio em canto nenhum, mas até o compositor parisiense tem uma música com esse nome – é da trilha do filme Atlantic city (1980), de Louis Malle, com Susan Sarandon.

BILLY COBHAM – “AC/DC”. Essa saiu no disco Magic, o sétimo álbum solo do baterista, lançado em 1977. Billy, se você não conhece, é um supermúsico que veio de formações como a banda de Miles Davis e a Mahavishnu Orchestra. Possivelmente a influência dele na hora de compor a música não foi a veterana banda australiana.

ANVIL – “AC/DC”. Lançada no primeiro disco do grupo de heavy metal, Hard’n heavy, de 1981, fala puramente de sexo e não é exatamente uma homenagem dos canadenses aos australianos. Por sinal, em 2009, retornando aos palcos, o Anvil abriu um show para o AC/DC. Na ocasião, sequer se animaram a tocar a música.