Conhecida no começo dos anos 1980 pelos índices assustadores de poluição e por acidentes como o derramamento de óleo que acabou com uma favela chamada Vila Socó (em 1984, deu bastante no Jornal Nacional), a cidade de Cubatão (SP) já foi parar nas pistas de dança da Europa. Isso rolou em 1982, quando um trio feminino de dance music chamado A La Carte fez sucesso com uma canção chamada Cubatao.

Na letra, um garoto de olhos castanhos chamado Angelo, de quase dez anos, morava num mundo “cinzento e frio” no hemisfério Sul, em que não havia abelhas nem árvores, e sim fumaça no ar. A letra vai fundo no protesto contra a poluição do chamado ‘Vale da Morte’ (é como a cidade da Baixada Santista sempre foi chamada) e prega que “os poucos que vivem no luxo não vêem os olhos ardentes de Angelo/não querem ouvir sua tosse”. A música surgiu como lado B do single In the summer sun of Greece e é uma boa curiosidade da transição da disco music para a dance music europeia dos anos 1980.

O A La Carte seguia a receita normal do pop alemão de proveta doa anos 1970, com controle de empresário, formação variável e músicas feitas por uma porrada de compositores de aluguel. Na época de Cubatao, o trio era formado por Jeanny Renshaw, Linda Daniels e Joy Martin, que por sinal não estavam na formação inicial nem tinham gravado o primeiro disco do grupo, o single When the boys come home, de 1979.

O som do trio acabou sendo relembrado em 1999, quando saiu uma coletânea da banda (The best of) e incluíram Cubatao lá. Dez anos antes, um DJ chamado Mungo Jerry tentou reaproveitar o nome A La Carte com um novo grupo de meninas, mas a coisa não andou. Saiu esse single aí, Dancing in the summertime, completamente inadequado para aqueles tempos de acid house e outras nomenclaturas.

Cubatao, por sinal, foi lançada lá fora na época em que a cidade começava a ser mais comentada no noticiário do Brasil. E recentemente o município reapareceu nos jornais pelo fato de ser a cidade do estado de São Paulo que tem o menor índice de isolamento social, em época de coronavírus. Segundo o Diário do Litoral, só 40% dos moradores se mantiveram trancados em suas casas.

Ah sim, teve aquela vez em que Cubatão apareceu também na letra de Biotech is godzilla, parceria de Jello Biafra com o Sepultura. Mas isso é outra história.

Via Allan Nóbrega