Banda de art-rock-experimental que já andou aparecendo no POP FANTASMA (aqui e aqui), os cariocas do O Branco E O Índio lançaram seu primeiro disco, Plantas renováveis, em 2018. A pandemia levou os integrantes a pensarem em mais um clipe para o álbum – já saíram os de Nonato e Orelha Negra. Dessa vez, com o distanciamento, apostaram em imagens de vários lugares do mundo, unidas por uma bolha flutuante, para o vídeo de Transferência das plantas renováveis.

“A bolha flutua pelo mundo como um olho que tudo vê, e se funde aos reflexos e espelhamentos de paisagens que visitamos e que nos fazem mudar a dimensão de mundo. Uma sensação que as viagens nos proporcionam e que nos fazem mudar o olhar sobre tudo, com reflexos diretos em nossas vidas”, avisa a banda no release. O grupo tem na formação Flavio Abbes e Bruno Rezende (guitarras e vozes), Roberto Souza (baixo) e Pedro Serra (bateria). E o clipe une imagens de lugares como Paquetá (de noite e de dia), Canadá, Finlândia e Paraná, citados na letra da música.

O clipe de Transferência foi feito a seis mãos, com direção de Fernanda Metello, Flavio Abbes e Pedro Serra. As imagens são de Fernanda, Pedro, Ana Paula Moniz e Christina Bocayuva. “Foi todo feito com imagens que a gente já tinha, a grande maioria da Fernanda Metello, que vai pra Paquetá desde pequena. Ela inclusive faz o festival bienal Paquetá Experimenta, de arte e música experimental. Daí ela me mandava as imagens, eu montava e ia mandando pra eles. Até chegarmos numa sétima edição da edição em que todo mundo ficou feliz”, conta Pedro, que recentemente dividiu seus pensamentos sobre música com o POP FANTASMA.

Tem mais novidades vindo por aí: a banda vai lançar outro clipe do disco, da faixa Golden gol. “O Jr Tostoi está remixando a faixa e vamos fazer um clipe dela também”, conta Pedro.

Pega Transferências das plantas renováveis aí.