Deve ter – só imaginamos – uma leva de crianças nascidas nos Estados Unidos nos anos 1980 que ficou levemente traumatizada por causa dessa série de comerciais do McDonald’s que marcava uma novidade para a rede de lanchonetes. Numa campanha exclusiva para os franqueados da Califórnia, a empresa passava a valorizar bastante o serviço noturno, pós 18h – enfim, era para fazer o consumidor americano trocar o jantar por um Big Mac. Para isso, a agência Davis, Johnson, Mogul & Colombatto, teve a grande ideia: botou um personagem cool, com cabeça de meia-lua, tocando piano e cantando uma versão mcdonaldizada do clássico Mack the knife, composto originalmente em 1928 por Kurt Weill e Bertolt Brecht para a Ópera dos três vinténs e popularizado em 1959 pelo cantor Bobby Darin. O nome da campanha? Mac Tonight (soa como Mack the knife, que legal).

Uma pessoa reuniu todos os comerciais, que fizeram certo sucesso lá por 1986, num vídeo do YouTube.

Na época, rolou um boatinho de que o cantor do jingle era Sammy Davis Jr. Não era. O cantor era o ator americano Doug Jones, que fez os comerciais por três anos. Os primeiros comerciais foram exibidos em 1986, e depois do Natal daquele ano, a ideia vazou para outros estados americanos. No começo, deu certo a ponto de restaurantes do McDonald’s botarem funcionários com cabeças-de-lua feitas em fibra de vidro. Em 21 de agosto de 1987, o Mac Tonight foi em pessoa a um McDonald’s de Boca Ratón, na Flórida. Tocou piano, cantou e dançou.

A magia do Mac Tonight deu certo até os herdeiros de Bobby Darin, em 1989, acordarem para o fato de que o personagem era basicamente uma imitação do cantor (que havia morrido em 1973) e resolverem processar o McDonald’s por se apropriar do estilo dele sem autorização. Alegavam direitos de imagem e pediam mais de US$ 10 milhões em danos. A música sumiu e a empresa deu um tempo nos comerciais. Só nos anos 1990 o McDonald’s voltou com o Mac Tonight em alguns eventos.

Tem gente que lembra bem do MacTonight. O cantor e produtor de música eletrônica Saint Pepsi usou um trechinho de uma propaganda antiga no vídeo de Enjoy yourself.

Os Simpsons zoaram o personagem num episódio.

Tem também um personagem ligado aos supremacistas brancos norte-americanos chamado Moon Man, que é uma perversão bizarra (e escrota) do MacTonight. Sobre isso, você lê (por sua conta e risco, e em inglês) aqui.

Via Mental Floss.