Nos anos 70 e 80, a loura Beki Bondage apareceu em várias capas de revistas. Vocalista da banda punk inglesa Vice Squad, Beki – cujo visual a deixava próxima de uma hipotética irmã de Lemmy Kilmister, do Motörhead – podia ser considerada uma pin-up do rock. Mas não gostava nem um pouco de ser vista assim. Até hoje, em entrevistas, não se mostra muito confortável quando encarada dessa forma. “Era só porque eu estava numa banda e nada mais. O rock é algo sexy”, contou num papo com o site Louder Than War. “Nunca nem fui atrativa, o rock é que sexualiza as pessoas instantaneamente”.

Como? Você nunca ouviu falar de Beki Bondage e do Vice Squad?

Se você nunca ouviu nada do Vice Squad, pega aí um dos melhores hits deles, Stand strong stand proud, de 1982.

Formado com um pé no anarco-punk de grupos como Crass, o Vice Squad surgiu em 1979 com Beki (cujo nome verdadeiro é Rebecca Bond), Dave Bateman (guitarra), Mark Hambly (baixo) e Shane Baldwin (bateria) e ganhou logo divulgação em programas como o de John Peel na BBC. Ele lançou Stand strong e outras do grupo.

Olha aí o grupo numa Peel Session em 28 de abril de 1982.

O Vice Squad lançava seus primeiros singles pelo selo Riot City, que era administrado justamente por Baldwin, Bateman e Simon Edwards – criador da distribuidora Heartbeat, que abrigava também selos como o Cherry Red. O fato de terem vindo de uma turma bastante politizada (Beki sempre foi ligada à causa animal e ao feminismo, e o nome da banda era uma ironia com a divisão anti-narcóticos e anti-prostituição da polícia) gerou críticas de fãs quando o grupo assinou com a EMI, por intermédio do selo Zonophone, em 1981. Os dois primeiros álbuns da banda saíram por lá. Eram No cause for concern (1981) e Stand strong stand proud (1982)

Depois rolaram várias de mudanças de formação e até Beki sairia do grupo em 1985 para iniciar carreira solo. Na época, quem entrou em seu lugar foi uma cantora chamada Lia, com quem a banda gravou o disco Shot away, daquele mesmo ano, por um selo indie chamado Anagram – sem Beki nos vocais, a EMI desistira do Vice Squad. O grupo encerrou atividades depois disso.

Beki voltou com uma formação nova do grupo em 1997 e o Vice Squad ainda existe. Se você estiver passando por Londres na quinta, vai encontrar um show deles à disposição. Em 2018, a banda se apresentou no legendário 100 Club, em Londres – casa criada para abrigar shows de jazz nos anos 70 e que, após 1976, passou a agendar shows de bandas punk. Um fã jogou o show inteiro no YouTube.

De lá para cá, o grupo vem gravando constantemente: em 2014 saiu o disco mais recente, Cardboard country. E em 2016, o grupo voltou a ser notícia por causa do lançamento de Last rockers – The Vice Squad story, biografia da banda escrita pelo ex-baterista Shane Baldwin, que também fala bastante dos selos Riot City e Heartbeat.