Não sei se todo mundo que frequenta o POP FANTASMA já percebeu, mas tem uma playlist do site aí do lado, à direita (se você entra por aqui apenas usando o celular, provavelmente não deve ter visto). Música popular perturbadora, como o próprio nome já diz, foca apenas em música feita para NÃO tocar no rádio. Não tem só nomes do underground e gente focada apenas em trabalhos experimentais, não. Tem até Madonna, que já vendeu bilhões de discos e é mainstream desde sempre, com uma de suas faixas mais esquisitas, a oração Act of contrition (da qual já falamos aqui).

Yoko Ono aparece na playlist com um dos momentos menos anti-comerciais de seu primeiro disco solo, Yoko Ono/Plastic Ono Band (1970), Why. A música tem John Lennon na guitarra, Klaus Woorman no baixo e Ringo Starr na bateria e ainda é uma das canções mais no formato “rock” do disco.

Se estiver a fim de passar a noite sem dormir, pega aí o tema principal do filme O bebê de Rosemary, escrito pelo polonês Krzysztof Komeda, morto em 1969.

Diamond dogs, disco de 1974 de David Bowie, tem umas músicas que dão aquela perturbação básica que a insônia precisa para se instalar de noite. Pega aí Big Brother.

Tá aí a música que você precisava para deixar os vizinhos crentes de que está acontecendo algo muito errado na sua casa. Se teu objetivo é esse, pode botar The gift, do Velvet Underground, no último volume. A letra, recitada com sotaque galês pelo baixista John Cale, fala sobre um coitado que resolve se enviar de presente para a namorada num pacote e acaba se dando muito mal.

O Satanique Samba Trio, que recentemente apareceu no POP FANTASMA APRESENTA, está na playlist com Canção para atrair má sorte.

Pega logo a playlist toda aí. 🙂

Tem conteúdo extra desta e de outras matérias do POP FANTASMA em nosso Instagram.