O apresentador e jornalista Gastão Moreira resgatou a entrevista de Redson (1962-2011), criador da banda punk Cólera, para seu documentário Botinada, sobre a história do punk brasileiro. Com direito a cenas inéditas. Logo de cara, Redson diz que o punk brasileiro começou mesmo em São Paulo – nada daquela discussão sobre se foi em Brasília. E lembra que começou a se interessar por rock em 1973, inspirado por grupos como AC/DC (cujo nome ele pronunciava em português mesmo, “acê decê”), Kiss, Ten Years After.

“Eu já tinha uma proposta de mensagem, que era o que a gente fazia no Cólera no início, de letras irônicas sobre fatos que a gente observava na época da ditadura militar”, recordou o cantor e compositor, explicando que a grande virada veio com os discos A revista Pop apresenta o punk rock (1977) e Never mind the bollocks, dos Sex Pistols (também 1977), e com a audição das músicas do The Clash. Após lerem uma matéria da Folha de S. Paulo sobre uma epidemia de cólera que matou porcos no Sul do país, chegaram a um nome para a banda.

Redson também lembra que era complicado arrumar discos de rock no Brasil na época. O estilo era considerado “subversivo” e os fãs, quando andavam em bandos, eram visados pela polícia. “O rock era uma postura e um material de difícil acesso”, relatou.

Olha o papo aí.