Nunca tinha ouvido falar de um cantor chamado Rusty Peavy, e provavelmente grande parte da população do planeta Terra também não. Mas o que interessa é que Rusty, morador até hoje da Califórnia, é um caso raro de cantor de jazz gospel.

Em 1977, ele gravou e mandou prensar o independente Isn’t that just like Jesus, disco em que passa a limpo sua conversão a Cristo. Na faixa-título – a única que dá para achar no YouTube – ele conta da época em que não acreditava em nada, não dava atenção nenhuma à religião (“era cegueira”, explica), até que ouviu o Verbo divino e resolveu se converter. Olha aí.

Ok, não é jazz repleto de improvisos, solos e voos musicais. O som de Rusty (que aparece creditado como “Russ” no selo do LP) tá mais para aquele smooth jazz que volta e meia invade as rádios adultas, os táxis e elevadores. Mas Rusty, apesar de não ter feito sucesso com seu primeiro disco, tomou gosto pela coisa. Tem até um vídeo recente dele cantando na igreja. Olha aí.