Quando o produtor da Gretchen cuidava dos LPs dos Trapalhões

Tinha uma época em que Os Trapalhões era um programa exibido pela Rede Tupi. E em que o quarteto formado por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias era novidade, já que alguns anos antes Wanderley Cardoso, Ivon Cury e Ted Boy Marino completavam o quarteto com Renato Aragão. Essa fase intermediária dos Trapalhões na Tupi foi curta (durou de 1974 a 1977), tem bem poucas recordações espalhadas pelo YouTube e, além dos programas, rendeu dois LPs.

Os dois discos, Trapalhões vol. 1 e Trapalhões vol. 2, tiveram produção de um dos maiores gênios subestimados do pop nacional, Mister Sam, o cara que ajudou a lançar a Gretchen – e também lançou nomes como Nahim, Sol e Black Juniors, cujo primeiro hit Mas que linda estás marcou a cultura black nacional e trouxe Mister Sam operando uma bateria eletrônica DMX Oberheim, “igual a que o New Order usou em Blue monday“.

O blog Violão, Sardinha e Pão deu uma resgatada na história desses discos batendo um papo com o próprio Mister Sam, que recordou como foi produzir os álbuns dos Trapalhões. Para começar, Sam, recém-chegado da Argentina por aqueles tempos, tinha que acertar em cheio e vender discos. Como ele era produtor do Wanderley Cardoso, ia com ele a todos os programas de TV e tinha uma entrada com Tito Di Miglio, produtor da Tupi de São Paulo, aproveitou uma ida a Os Trapalhões para sugerir a eles que poderiam fazer aquilo mesmo que faziam no palco, num estúdio.

“O disco foi gravado ao vivo dentro do estúdio. Benito de Paula Ao Vivo também foi gravado ao vivo dentro do estúdio”, informa o produtor, que cuidou de várias gravações de nomões da Copacabana antes de começar a produzir Gretchen.

No primeiro disco, ele não conseguiu aproveitar nem Mussum (então percussionista dos Originais do Samba e contratado da RCA) e Zacarias (que na lembrança de Sam, estava contratado de outra gravadora). Sobrou para Didi e Dedé, que apareciam apenas atuando em esquetes escritos por Renato Aragão – o resto do material era completado por músicas de artistas populares da gravadora.

No segundo LP, vários esquetes e duas músicas, com Didi e Dedé cantando mal: Dança do pssite e Trapa-trapa, ambas feitas por Sam e ninguém menos que Wanderley Cardoso. “Fazer as musicas para o Renato e o Dede cantar foi um milagre. Eles não eram cantores”, disse Mister Sam.

O resto do papo tá aí.

Veja também no POP FANTASMA:
– O mundo realista dos Trapalhões
Trapalhões: letras traduzidas com Didi Mocó