Você com certeza já conheceu alguém – um amigo, amigo de amigo, etc – que de uma hora para outra começou a misturar programação neurolinguística com vocabulário de pegador da noite. O cara, enfim, começou a se envolver com a turma das pick up arts. Que consiste basicamente em técnicas de sedução pra lá de inusitadas e que geram MUITA polêmica.

Só para se ter uma ideia, um tempo atrás um sujeito chamado Julien Blanc foi barrado em vários países porque ensinava técnicas de sedução que caíam no abuso físico e emocional. As técnicas de Blanc foram imediatamente associadas aos pick up artists. O jornal gaúcho Zero Hora foi bater um papo com Fernando Fenix, um dos gestores da PUA Training Brasil (PUA é a sigla para pick up arts) e ouviu dele que “somos totalmente contra sua postura e técnicas. Pessoas como ele geram uma ideia errada sobre sedução e acabam sujando o nome PUA para os leigos em geral”.

Para entender do que se trata a história, o que tem mais por aí são sites e fóruns (e até mentoria e coaching de PUA), inclusive no Brasil. Confira e escolha os que parecem sérios. Alguns põem pilhas erradas parecidas com o do treinamento da marinha para lidar com morenas, do qual falamos outro dia: mulheres gostam de homens imprevisíveis, másculos, desafiadores, que têm liderança, etc. Quem defende as técnicas, afirma que todo o trabalho é feito visando acabar com a timidez, garantir o autodesenvolvimento, etc. Notadamente, boa parte dos produtos ligados às pick up arts são narrados e desenvolvidos por homens.

Agora volte aos anos 1970 e misture o comecinho da onda da PUA (quando provavelmente ainda nem existia tal termo) com a onda de faça-você-mesmo que havia nos Estados Unidos nos anos 1970, com livros, discos e produtos ensinando técnicas de artes marciais, de pesca, de hipnose (!) e até de controle mental, e que eram vendidos por anúncios em revistas. Até mesmo em revistas infantis (e até mesmo no Brasil).

Picking Up Girls Made Easy: um LP ensinando técnicas medonhas para ficar com garotas

E sim, saiu um DISCO explicando como ficar com garotas. Pickin up girls made easy foi lançado em 1975, narrado por um jornalista chamado Eric Weber e foi inspirado no próprio livro escrito por ele, How to Pick Up Girls, de 1970. Na época, esse disco, que dava conselhos sobre como conhecer garotas em bailes, festas, museus e até na rua, vendeu três milhões de cópias. E era vendido pelo correio, por intermédio de anúncios em revistas.

Hoje, boa parte dos conselhos desse disco de Weber não ficaria de pé em dois segundos. Não só pelas mudanças no relacionamento homem-e-mulher como também porque muitas técnicas são furadas pra cacete. E desonestas. Pickin up girls is easy começa com a audição de uma paquera em que o rapaz mente para uma garota dizendo que o cabelo dela é “perfeito” e que ele trabalha como produtor de televisão, e quer a menina num anúncio de TV.

O disco e o livro de Weber, por sinal, fizeram tanto sucesso que geraram até uma comédia romântica feita para a TV em 1978, How to pick up girls, com Desi Arnaz Jr (filho de Lucille Ball com Desi Arnaz) no papel principal. Olha ele aí embaixo.

Infos de Huffington Post e Reprobate Press.