O coelho Pernalonga fez 80 anos nesta segunda (27), como ficou comprovado até pelos trending topics do Twitter. Mas o personagem tem duas datas de nascimento, digamos. Em 30 de abril de 1938, ele já havia estreado no desenho animado Porky hare hunt,. Nele, o Gaguinho resolve caçar coelhos (lebres, enfim, já que tem o “hare” no título).

Só que nessa produção, o nome do Pernalonga ainda era Coelho Feliz. E o visual era bem diferente, até porque o desenho tinha sido feito em preto e branco. Como Pernalonga, e com um visual próximo do que o tornou famoso, o coelho apareceu pela primeira vez em A wild hare, em 27 de julho de 1940. Os dois desenhos estão aí embaixo.

E nove anos depois de criado, o Pernalonga protagonizou um desenho animado que muita gente assistiu bastante na televisão. E que só agora eu descobri que tinha duas partes.

Long-haired hare (a lebre de cabelos compridos) trazia dois desenhos animados. Que por sinal, além de trazerem música clássica na trilha sonora (era uma tendência na época), ainda traziam uma visão brincalhona da briga entre clássicos e música popular. O título também era uma referência àquelas imagens comuns dos compositores clássicos, com cabelos grandes e brancos.

No primeiro desenho da série, um cantor de ópera chamado Giovanni Jones tenta ensaiar em casa. Só que é constantemente atrapalhado pelo coelho Pernalonga, que toca o tema A rainy night in Rio num banjo, num quintal próximo. O resultado lembra aqueles desenhos do Pica-Pau em que o pássaro usa diversos objetos e instrumentos para aporrinhar o saco de todo o mundo. O Pernalonga tenta tocar banjo, tuba (o tema When yuba play the rhumba on the tuba), harpa. E tem todo o material destruído pelo cantor fortão.

O final (vou contar) não era como o que acontecia nos desenhos do Pica-Pau, em que o pássaro quase sempre levava a melhor. A primeira parte terminava com o Pernalonga amarrado pelas orelhas numa árvore, puto da vida e jurando vingança. E antes que você possa pedir para seu filho/filha não fazer isso com o coelhinho de estimação, veja a segunda parte. Que por sinal, ficou até mais popular que a primeira.

Na segunda parte de Long haired hare, Pernalonga invade o palco num concerto de Giovanni Jones, se passando pelo maestro Leopold Stokowski. Por acaso é aquele desenho em que o coelho tortura o cantor regendo em tons altíssimos e baixíssimos. Se você não sabia, vai aí a informação: Stokowski também dispensava a batuta na hora de reger (o estilo era “à mão livre”, como num desenho). E também exigia muito das orquestras que dirigia.

Olha ele aí em ação.

Stokowski também fez uma aparição em Fantasia, da Disney, regendo a Toccata e fuga em dó menor, de Bach.

E parabéns atrasado, Pernalonga!