Hoje parece molezinha. Mas nos anos 1980 era a mais suprema novidade: um baixista que chamava mais atenção que o guitarrista da sua banda, e que impressionava pela mistura perfeita de slaps de funk e do primitivismo do punk. E que, em alguns momentos, fazia seu instrumento soar como um violão ou uma guitarra. O canal Polyphonic, que faz vídeos detalhando a importância de determinados músicos para suas bandas, vai agora na importância de ninguém menos que Flea, baixista dos Red Hot Chili Peppers, para seu grupo e para o rock atual.

O vídeo acompanha a importância dos dois estilos (punk e funk) no trabalho de Flea e mostra como ele vai passando de um para o outro rapidamente dependendo da música – alternando slaps e linhas bem rápidas de baixo em vários hits do grupo. Também mostra alguns nomes sem os quais o estilo de Flea não existiria, como Larry Grahan, baixista de Sly & The Family Stone. Confira aí