(Every day) is halloween, canção do Ministry lançada em 1984, já salvou a vida do líder da banda, Al Jourgensen. Acostumado a ambientes bizarros (e a buscar drogas em lugares sórdidos) o músico foi dar uma banda certa vez lá pelos lados do antigo conjunto habitacional Cabrini-Green, em Chicago. Demolido em 2011, o condomínio popular era tomado por gangues violentas e por traficantes.

Al estava tentando arrumar drogas quando cinco caras enormes pularam em cima dele, querendo saber o que ele estava fazendo por ali – um deles, apontando uma arma direto para a cara de Jourgensen. “Espere um minuto, cara, não atire”, disse um dos gângsteres. “Ele é o cara do ‘bop-bop’, está tudo bem, ele é cool”. O sujeito havia reconhecido Al como o cara que ficava falando “bop-bop” durante a música. E liberou o líder do Ministry para procurar o traficante mais próximo.

A música, que originalmente era o lado B do single All day, e acabou virando o jogo, era a estreia do Ministry na gravadora de música eletrônica Wax Trax, após uma experiência mal sucedida (para Al e seu parceiro na época, Stephen George) na grandalhona Arista. Tinham lançado lá o LP With sympathy e Al saiu reclamando que a gravadora forçou a banda a se tornar uma dupla de tecnopop. Na época, você deve saber, Al não se parecia em nada com o maluco cheio de piercings e com o cérebro em estado de suspensão que hoje lidera a banda. Ele é o da esquerda na foto (Stephen é o da direita).

E o Ministry, que revisitou "(Every day) is halloween"?

(Every day) is halloween também acabou se tornando uma espécie de hino gótico, e a primeira tentativa do grupo em largar de lado seu público original, que era formado basicamente por fãs de synthpop (mas vá lá que, ao contrário do que o próprio Ministry acredita, With sympathy é um puta disco e vale a audição). Deu certo a ponto do Ministry chamar a atenção do selo Sire e se mandar para lá. A história de como o grupo entrou para o cast da gravadora de Madonna também é cheia de bizarrices (um dia a gente conta).

A música, por sinal, passou mais de trinta anos fora do repertório do Ministry – que passou a adotar uma sonoridade mais metal-industrial e passou a renegar tudo o que fez até o segundo disco, Twitch, de 1986. Até que Al resolvesse fazer uma surpresa para os fãs e resgatasse a música no último dia de outubro, em homenagem ao dia das bruxas, num vídeo para o YouTube. (Every day) is halloween aparece em versão acústica, com participação de Dave Navarro.

Ah sim, a expressão “halloween” também se relaciona com um momento, er, sui generis da vida do Ministry. A turnê da banda de 1992, que lançava o disco Psalm 69, começou justamente no dia das bruxas daquele ano, com uma data na Bélgica, e posteriormente datas na Alemanha, França, Itália, Holanda e Reino Unido. “Todas as gigs eram marcadas de acordo com nossas conexões de drogas. Heroína e cocaína eram mandadas em primeira mão para os nossos hoteis. A banda era rachada ao meio – metade eram os junkies, e a outra metade era formada completamente por esnobes. Os junkies sempre venciam porque sem eles não há turnê”, afirmou Al na biografia Ministry: The lost gospels according to Al Jourgensen.