Quando as Runaways acabaram, a principal vocalista do grupo, a loura Cherie Currie, embarcou em carreira solo e fez sucesso com o disco Beauty’s only skin deep (1978). No estúdio, durante as gravações, levou sua irma gêmea (nascida dois minutos antes dela) Marie Currie para fazer vocais em Love at first sight, além de ajudar nos backing vocals. Marie acabou se juntando à turnê de lançamento e o público ficava bem animado quando ela subia no palco para cantar com a irmã.

Por causa do sucesso da faixa, elas foram até o Japão fazer shows. Afinal, as Runaways já haviam feito shows por lá (a ida delas à terra do sol nascente rende algumas cenas engraçadas do filme The Runaways – Garotas do rock, de Floria Sigismondi) e eram adoradas no país. Em decorrência disso, a música acabou ganhando uma versão em japonês.

Marie afirmou em entrevistas que a ideia original era que as duas fizessem parte das Runaways. Mas o empresário da banda, Kim Fowley, não deixou porque não queria passar a ideia de que eram duas gêmeas apoiadas por um grupo. Já em carreira solo, Cherie e a irmã acabaram achando que, er, “duas louras eram melhores do que uma” (foi a frase que divulgaram na época) e decidiram entrar numa brevíssima carreira em dupla. O segundo disco de Cherie, Messin’ with the boys (1980) seria também o primeiro disco de Marie, com ambas vestindo bizarras roupas de spandex na capa.

Cherie Currie (Runaways) em dupla com a irmã gêmea Marie, em 1980

A ideia acabou dando certo. O disco trouxe mais hits para Cherie do que a estreia solo, a turnê rolou bem, e a ex-Runaways até iniciaria uma carreira no cinema, fazendo um dos papeis principais do filme Foxes (1980, Gatinhas, no Brasil), ao lado de Jodie Foster.

Na época da (breve) dupla, as duas falavam em entrevistas (como essa da People) que pensavam em voltar a estudar – afinal, elas haviam abandonado o colégio ainda no Ensino Médio. Cherie fazia sucesso na escola, indo às aulas com raios pintados no rosto, à maneira da capa de Alladin Sane, de David Bowie (1973). A vocação da dupla para a bagunça era tão grande que as gêmeas acabaram matriculadas em escolas diferentes.

Cherie Currie (Runaways) em dupla com a irmã gêmea Marie, em 1980
No ensino médio: quem é quem aí?

Músicos da banda americana Toto participaram da gravação de Messin’ with the boys (nome apropriado, aliás, já que as duas eram tão iguais que confundiam todo mundo). Por acaso, Steve Lukather, guitarrista da banda, acabou conhecendo Marie no estúdio, começaram a namorar, casaram-se em 1981 e tiveram filhos – o casal se divorciou alguns anos depois.

A carreira musica de Cherie e Marie teria um monte de pausas. As duas até apareceriam no filme The Rosebud Beach Hotel, em 1984, cantando juntas, mas não lançaram mais nenhum disco juntas.

Em 1991 saiu um disco chamado Young and wild, uma coletânea da dupla com várias músicas de Messin‘, do primeiro disco de Cherry e das Runaways. E até versões de duas canções dos Beatles (Strawberry Fields forever e Here comes the sun) que Cherie tinha gravado para a trilha do super-fracasso cinematográfico Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, mas bateu na trave e não entrou. O disco tinha sido uma ideia do ex-empresário Kim Fowley, que não pediu nem autorização às duas para lançá-lo. Cherie reclamou e disse que Kim “já me roubava e continua me roubando”.

Já que você chegou até aqui, pega aí as duas aos 19 anos batendo um papo com um repórter japonês.