Nos anos 1980, apareceu mais um motivo para as crianças tomarem aquele susto na frente da TV. Em 1987 a Band passou a exibir o desenho Turbo teen, que no Brasil ganhou o nome de Turbo man.

Turbo Man: aquela transformação de homem em automóvel (!) que dava uns sustos na criançada

A história, na verdade, não era nada assustadora. Mas tinha uma sinopse que dificilmente seria levada ao ar hoje. Dirigindo um carro durante um temporal, um adolescente chamado Brett Matthews faz um desvio malfeito e vai de bico numa casa onde funcionava um laboratório secreto do governo americano. Um raio separador molecular acaba unindo Brett a seu carro esporte vermelho. Quando exposto ao calor extremo, ele consegue se transformar no carro. Quando exposto ao frio, ele volta ao normal.

Antes que você consiga se perguntar “e adolescente pode dirigir?”, pega aí um gif com a abertura do desenho e cena inesquecível do nariz de Brett se transformando na parte dianteira do carro.

Existem poucos episódios de Turbo teen no YouTube. Aí tem alguma coisa.

Dando susto na molecada ou não, Turbo teen foi exibida durante bem pouco tempo: só treze episódios, pela ABC, entre 1984 e 1985. A série foi criada por uma empresa chamada Ruby-Spears, formada pelos animadores Joe Ruby e Ken Spears, que (ora ora) começaram a carreira trabalhando numa outra empresa-dupla famosa, a Hanna-Barbera. Fizeram roteiros para desenhos como Os Herculóides e foram os responsáveis por nada menos que a série de desenhos do Scooby-Doo, no ar desde 1969.

Ruby e Spears eram executivos da rede ABC em 1977, quando criaram a empresa – a estação queria justamente uma alternativa à Hanna-Barbera, que estava produzindo conteúdo para três redes e estava, no entender da emissora, deixando cair na qualidade. Tinha muito desenho que passava no Brasil nos anos 1980 que vinha dos estúdios da Ruby-Spears, como Alvin & Os Esquilos e Goldie Gold. Esse último (também de curta duração e enredo meio sequelado) foi exibido aqui pela Rede Manchete.

Olha aí a evolução do logotipo da Ruby- Spears (que fechou nos anos 1990).