Então: há alguns dias saíram as duas primeiras imagens da série sobre os Sex Pistols que terá seis episódios e irá ao ar no canal FX. O programa terá direção de Danny Boyle (Trainspotting) e não tem data definida ainda para ser exibida. O nome da série, pelo menos até o momento é Pistol. Isso porque o roteiro será baseado nas memórias de um integrante: o livro Lonely boy: Tales from a Sex Pistol, do guitarrista Steve Jones (um dos livros de ouro da biblioteca do POP FANTASMA, por sinal).

Olha as imagens aí. A escalação traz Louis Partridge (Enola Holmes) como o baixista Sid Vicious, Anson Boon (1917) como o vocalista John Lydon, Jacob Slater como o baterista Paul Cook e Toby Wallace (Dente de leite) como Jones.

O que já dá para saber sobre a tal série dos Sex Pistols

O que já dá para saber sobre a tal série dos Sex Pistols

O elenco ainda tem mais: Fabien Frankel (The serpent) faz o baixista original Glen Matlock; Thomas Brodie-Sangster (O gambito da Rainha) interpreta o empresário Malcolm McLaren; Talulah Riley (Westworld) faz a estilista Vivienne Westwood; Dylan Llewellyn (Derry Girls) é Wally Nightingale, guitarrista de um embrião dos Pistols, The Strands; Sydney Chandler (Don’t worry darling) faz Chrissie Hynde antes da fama, Emma Appleton (The witcher) faz Nancy Spungen, namorada de Sid; e Maisie Williams (Game of thrones) é a ícone punk Jordan Mooney.

Da para ter uma ideia de como fica o roteiro (que por sinal é de Craig Pearce, co-roteirista de Mouling Rouge, ao lado de Frank Cottrell Boyce)? Bom, já que a série baseia-se no livro de Jones, o que o fã da banda pode esperar, no mínimo, é muita intriga envolvendo os ex-integrantes do grupo. Os Sex Pistols, em vários momentos, tiveram desentendimentos e falaram coisas bem pouco airosas uns dos outros em entrevistas. O livro do guitarrista não economiza em comentários sarcásticos, especialmente sobre John Lydon (o Johnny Rotten, vocal) e Sid Vicious (baixo).

Só para se ter uma ideia, Jones recorda em dada altura que ficou sabendo da morte por overdose de Sid por intermédio de um repórter da Rolling Stone que ligou para ele em busca de uma declaração. E lembra de ter respondido: “Bom, pelo menos vamos vender muitos discos agora”. “Foi uma resposta estúpida e o repórter ficou chocado”, recordou o músico no livro.

O site Consequence Of Sound conta que a série “gira em torno da jornada de Jones no oeste de Londres, lar da icônica butique Sex, de Vivienne Westwood e Malcolm McLaren, um epicentro da cultura punk inicial. A partir daí, Boyle rastreia a ascensão e queda relativamente curta, mas furiosa, de Sex Pistols”. Boyle, por sinal, resumiu um pouco a série num comunicado.

“Imagine invadir o mundo de The crown e Downton Abbey com seus amigos, gritando suas canções e sua fúria por tudo que eles representam. Este é o momento em que a sociedade e a cultura britânicas mudaram para sempre. É o ponto de detonação da cultura de rua britânica, onde os jovens comuns tinham o palco e desabafavam sua fúria e sua moda, e todos tinham que assistir e ouvir. E todos os temiam ou os seguiam”, disse, esclarecendo também que Jones era “um jovem cleptomaníaco analfabeto charmoso”.

Enfim, pelo que Danny conta aí, a série deve, pelo menos no começo, focar bastante num hábito perigoso que Jones e seu amigo Wally tinham na época do Strand: roubar equipamento dos outros. Jones certa vez foi assistir a um show de Bob Marley e saiu da casa de shows com um ampli Twin Reverb afanado da banda que abriu para o rei do reggae – usou o pedal inclusive durante as gravações do único LP dos Sex Pistols, Never mind the bollocks (1977). “Conhecia o local como a palma da minha mão. Sempre costumava entrar furtivamente lá e me dependurar nas vigas”, chegou a afirmar certa vez.

Em outra ocasião, a vítima foi ninguém menos que Woody Woodmansey, baterista de David Bowie. Jones foi ver o cantor no Hammersmith Odeon em 1973 e resolveu fingir, com alguns amigos, que era da equipe da banda. Saiu de lá com equipamentos e alguns pratos do baterista. O guitarrista depois confessou o roubo a Bowie e ofereceu o equipamento de volta – segundo ele, o cantor lhe disse para não se preocupar com isso. Já Woody foi ao programa de rádio de Jones na emissora KLOS, no ano passado, e saiu de lá com um pedido de desculpas e trezentos dólares (!).

Mais Sex Pistols no POP FANTASMA aqui.

Fotos: Lon Bozarth/AIRSHP.com (destaque) e Miya Mizuno para FX (série)