A RCA, gravadora do Rei do Rock, Elvis Presley, tinha o que havia de mais quente (uau) no rock em 1974: David Bowie (fazendo bastante sucesso após a fase glam e chegando no período soul) e Lou Reed (finalmente prestes a estourar com o disco Sally can’t dance, que a gravadora mandou fazer nos EUA sob o comando de Steve Katz, do Blood, Sweat And Tears). Tanto que mandou filmar comerciais para os discos Sally… de Reed, e o duplo David Live.

Curtinhos, os filmes soam BEM engraçados e distópicos hoje em dia, tanto pelas imagens de Bowie dançando numa capa de disco, tanto pela bolinha “animada” que sai pulando em cima dos versos tristonhos de Sally can’t dance (cuja letra versa sobre o luto e a despedida a uma menina que morreu) em clima de sing-along. Sem contar a cara de desanimação completa de Reed, que sempre reclamou nunca nem ter conseguido participar direito desse disco.