Nunca tinha ouvido falar de Suzana. E foi uma surpresa. Na onda de cantoras-populares-de-um-nome-só que costumavam aparecer sensualizando em capas de discos nos anos 1970 (Gretchen, Sol, Sharon, Sarah), ela se destaca por 1) não aparecer gemendo nas músicas; 2) ter uma galera bem mais ligada à MPBzona na lista de músicos (Waltel Blanco e Gilson Peranzetta, este mais conhecido pelo cargo de arranjador e tecladista de Ivan Lins). O fato é que você não precisa nem escutar Não me beije desse jeito, o disco dela lançado há 39 anos pela CBS (hoje Sony), para se divertir com as músicas. Afinal, não é todo dia que você encontra um álbum com uma música chamada Você não garante as calças que veste. Olha aí. A música pode fazer qualquer ser humano ser transportado imediatamente pra plateia do Chacrinha ou do Bolinha – com direito a um pianinho elétrico bastante simpático tocado por Gilson. Já a letra é sofrência e ofensa puras (clique no vídeo abaixo e vá parar direto na faixa).

Tem também uma outra chamada Cansei de trabalhar no seu circo. Aliás, como você pode ver abaixo, só olhar os nomes das músicas (que, como convinha aos lançamentos antigos da CBS, aparecem na capa do disco, em total desordem em relação a ordem das canções no LP) já é uma experiência tragicômica (clique no vídeo abaixo e vá parar direto na faixa).

Com vocês, Suzana cantando "Você não garante as calças que veste"

Com vocês, Suzana cantando "Você não garante as calças que veste"

Olha a contracapa aí: seis das doze músicas do disco foram compostas por um músico chamado Jean Marcel, que teve carreira própria: gravou discos pela CBS, pela PolyGram, etc. E aparentemente era um sujeito bom de título. Em 1976 gravou um heavy metal-brega chamado Não sou robot. O cantor morreu em 2014.

Possivelmente nenhuma música do disco de Suzana jamais saiu em CD – no Spotify não tem nada. Vale dizer que no ano seguinte, as coisas mudavam e ela voltava num clima bem Gretchen no disco Estou pegando fogo!. A música de abertura, Eu fico louca, tinha versos formidáveis como “eu fico louca, louca/pra te dar/pra te dar/pra te dar/pra te dar um beijo” (preste bastante atenção no corinho da música, no primeiro minuto).